Artigo

Ministério da Cultura equaciona fundo de apoio aos artistas

Para apoiar os artistas angolanos em idade de reforma ou com necessidades ligadas à vertente de saúde, o Executivo através do Ministério da Cultura pensa na criação de um fundo de apoio, uma associação mutualista ou a integração numa caixa social, afirmou nesta quinta-feira, em Luanda, a ministra Carolina Cerqueira.

Pretende-se, de acordo com a ministra, dar dignidade aos artistas que ao longo das suas vidas deram tudo para a valorização, expansão e a divulgação da cultura angolana e que muitas vezes, devido a problemas vários, ficam condicionados ou marginalizados.

Para o efeito, o departamento ministerial da cultura espera contar com a participação dos parceiros e dos mecenas para ajudar a resolver os problemas que a classe artística enfrenta diariamente.

Carolina Cerqueira, que falava na cerimónia de cumprimentos de ano novo que juntou os trabalhadores e agentes culturais, adiantou que o titular do poder executivo, o Presidente João Lourenço, partilha desta preocupação e existe comprometimento para se responder as preocupações apresentadas pelos artistas nesta vertente.

Para além do fundo ou integração numa caixa de apoio social, o Ministério da Cultura vai igualmente trabalhar para a criação de uma carteira profissional que dignifique o artista e que clarifique quem é realmente artista.

Dentro das prioridades do sector, a ministra apontou a promoção de acções de divulgação, preservação da identidade cultural angolana, com particular realce para actividades ligadas a vertente tradicional, revitalizando o movimento artístico cultural nacional.

Para a concretização dos objectivos preconizados, a ministra apelou ao sentido patriótico e de responsabilidade aos quadros do sector, em particular, e aos agentes culturais de forma geral.

De acordo com Carolina Cerqueira, é necessário mobilização para uma cultura de paz e paz na cultura, para que se possa fazer um trabalho direccionado às novas gerações não se esquecendo do passado, que foi de sacrifício e de conquista da paz.

A inclusão do Centro Histórico de Mbanza Kongo na lista do património mundial é, segundo a ministra, a maior conquista do país em termos culturais no ano 2017.

Em perpestiva para o presente ano está as candidaturas do Memorial do Cuito Cuanavale, Corredor do Kwanza e as Pinturas Rupestres de Tchindu Hulu.

Comentários