Artigo

Músico angolano C4 Pedro é o destaque no festival da Gamboa em Cabo Verde

O músico angolano C4Pedro é o destaque da 25.ª edição do festival da Gamboa, que acontece no próximo fim-de-semana, na cidade da Praia, e que vai homenagear a "mãe" do género 'finançon' cabo-verdiano Nha Nácia Gomi.

C4 Pedro

O anúncio foi feito hoje em conferência de imprensa pela vereadora da Cultura da Câmara Municipal da Praia, Débora Sanches, indicando que o tributo será feito pelos músicos Bob Mascarenhas e Princezito.

Maria Inácia Gomes Correia, de nome artístico Nha Nácia Gomi, morreu em fevereiro de 2011, tendo ficado conhecida como a "mãe" do 'finançon', género musical popular da ilha cabo-verdiana de Santiago.

Além do tributo a Nha Nácia Gomi, o festival da Gamboa, realizado na praia com o mesmo nome, contará com atuações de vários artistas e grupos nacionais e internacionais.

De Angola chega C4Pedro, o destaque do festival, que será o último a atuar, na madrugada de sábado, na segunda e última noite de muita música no centro da cidade da Praia.

Antes, subirão ao palco os cabo-verdianos Fidjus de Codé di Dona, Bulimundo, Djodje, David Brazão, Willy Semedo e Zé Epanhol.

Na primeira noite do festival, vão atuar, além de Bob Mascarenhas e Princezito, Jennifer Dias, Rapaz 100 Juiz, Loony Johnson e Anthony B, que vem da Jamaica com o seu estilo 'reggae'.

O festival, enquadrado nas comemorações do dia do município da Praia, 19 de maio, prossegue no domingo com atividades dedicado às crianças (Gamboinha) e aos jovens (Gamboa Jovem).

Débora Sanches informou que o festival da Gamboa está orçado em 20 milhões de escudos (181 mil euros) e este ano será transmitido pela rádio (RCV) e televisão (TCV) públicas cabo-verdianas e via Internet.

À semelhança de anos anteriores, a entrada no areal da Gamboa é paga, sendo 300 escudos (2,7 euros) por cada uma das duas primeiras noites (sexta-feira e sábado), enquanto no domingo é livre.

A vereadora garantiu que já "está tudo a postos" para arranque do evento e pediu pontualidade e civismo aos festivaleiros.

Comentários