Artigo

STP Music Awards: Primeira edição aproxima Angola à São Tomé e Príncipe

São Tomé e Príncipe, 6 de Julho de 2015- A primeira edição do São Tomé Music Awards teve lugar no sábado (dia 4), no Palácio dos Congressos, uma semana antes das comemorações dos 40 anos de independência da ilha. A organização do Angola Music Awards e a Unitel STP foram as personagens principais desta grande festa da música. O SAPO apanhou o primeiro voo, acompanhou os melhores momentos e descobriu os detalhes que estão por trás do evento mais badalado na ilha de São Tomé e Príncipe.

A música é uma força invisível que aproxima povos e culturas. A relação entre Angola e São Tomé e Príncipe assenta-se neste princípio, em anos de proximidade histórica. Desta forma a música tem sido uma ponte entre os dois países. O evento São Tomé Music Awards by Unitel foi exemplo disso.

O trabalho de concepção e realização do evento esteve a cargo da organização do Angola Music Awards (AMA), na pessoa de Daniel Mendes. De acordo com o mesmo, a ideia surgiu desde o momento que se começou a trabalhar na terceira edição dos AMA:

“Ao chegar na última edição, houve a necessidade de se ir mais além e tornar realidade o projecto de união entre os músicos dos PALOPS, por isso trouxemos para São Tomé a proposta de criar o STP Music Awards, o que foi muito bem recebida”, explica Daniel.

A produção dos AMA levou até à ilha os músicos Totó e Bruna Tatiana para a delícia de todos os presentes.




São Tomé e Príncipe: Uma ilha em tempo de festa


O evento surge num momento de festa para a ilha, que comemora os 40 anos de independência no dia 12 de julho, e desta forma, a data foi celebrada “em grande”.
Segundo o organizador, este foi um dos motivos que fez com que a receptividade do projecto implementado na ilha fosse maior:

“A sua excelência, o presidente da república de São Tomé e Principe, Manuel Pinto da Costa, abraçou o projecto desde o princípio, e por ter sido agendado na altura das festividades da ilha, o aval foi ainda maior. A recepção foi bastante calorosa e até senti-me lisonjeado, apresentar o projecto foi um momento de descontracção”, garante.

PALOP Music Awards: "Unidos somos melhores"


Daniel afirma que um dos projectos em concepção é o PALOP Music Awards, que tal como o nome indica, pretende incentivar a divulgação e premiação da música nos países desta comunidade. Portanto, países como São Tomé e Príncipe têm em eventos como o STP Music Awards uma maneira de dar os primeiros passos na afirmação da música nacional em prol da participação neste evento internacional:

“Para o próximo ano estaremos na Guiné Bissau para a implementação do projecto. As condições estão preparadas e já temos parceria com Moçambique e Cabo Verde Music Awards. Com a estrutura de trabalho assegurada nestes países, cria-se uma união entre os povos para uma demonstração de cultura além fronteiras, o que é o verdadeiro objectivo do PALOP Music Awards, onde os melhores artistas de cada país competirão para se tornarem finalistas nas diferentes categorias a serem implementadas consoante a realidade cultural de cada povo.

O PALOP Music Awards é um projecto ambicioso que ainda dará muito o que falar.

Questionado sobre a análise que faz da música de São Tomé e Príncipe, Daniel nota que houve uma grande evolução: “Hoje em dia já existe uma nova vaga de artistas com estilos musicais mais modernos, mas sempre com uma tendência cultural. Por outro lado, a “velha guarda” continua a mostrar o seu trabalho, nomes como João Siria e Pepe Lima são conhecidos por toda a ilha.

Daniel remata que a música está numa nova fase, a boa qualidade reina mas com a vontade actual de querer fazer mais e melhor, mostrando ao mundo que são capazes.


Angola e São Tomé e Príncipe: A união cultural entre dois povos


O SAPO teve também a oportunidade de falar com Alfredo Mingas, embaixador de Angola em São Tomé, e segundo o mesmo “eventos desta envergadura promovem a consolidação das relações de cooperação no domínio da cultura, relações estas que são praticamente naturais. A história entre os dois povos sempre teve um destino comum. O povo da ilha emigrou para aqui, e o povo angolano faz parte do tecido histórico são-tomense”.

O embaixador afirma que a música angolana e a são-tomense cruzam-se no tempo e nos estilos e isso faz com que os dois povos aproximem-se cada vez mais. O evento tem desta forma a sua peculiar importância: “ este projecto vem no momento certo para carimbar aquilo que são as nossas actividades no âmbito da música, todos nós fazemos um esforço para que esta parceria se mantenha e se desenvolva”, termina.

Outra das personagens principais por trás do sucesso da primeira edição do São Tomé Music Awards é a Unitel STP. Segundo Ricardo Cardoso, director de comunicação e marketing da Unitel sedeada em São Tomé e Príncipe, “tendo a empresa um carácter social forte, o patrocínio oficial ao projecto visa a promoção da cultura e aos fazedores da música são-tomense. A Unitel vê uma diversidade muito grande a nível da música da ilha e é um dos motivos que fez abraçar este projecto”, explica Ricardo.

A Unitel STP tem uma parceria de três anos com o STP Music Awards e é a operadora oficial do projecto. Desta forma, as votações para as nomeações dos artistas nas três edições serão feitas pela rede Unitel STP.

O patrocínio aos projectos culturais da ilha terão continuidade e a empresa já demonstrou o seu interesse no que concerne ao apoio aos PALOP Music Awards.

A Unicef é mais uma das entidades que abraçou o projecto. A entidade mantém e aumenta a parceria no domínio da música, as artes plásticas, o desenho, a filmagem, para citar alguns.

O São Tomé Music Awards by Unitel é o primeiro evento de premiação da música são tomense. O STPMA é organizado pela Organizer Eventos, em parceria com o Grupo Mener, empresa angolana que organiza o Angola Music Awards (AMA) e teve como patrocinador oficial a Unitel STP.


Comentários