Artigo

Yuri da Cunha: "Tenho sabido viver do rendimento do meu trabalho"

O cantor e compositor angolano Yuri da Cunha afirmou hoje, sexta-feira, em Luanda, que, actualmente, os artistas, nas mais diversas áreas, vivem dos rendimentos das suas actividades profissionais.

Em declarações à Angop sobre o momento actual da música em face do actual contexto e económico no país, o artista referiu que os cantores têm mais espectáculos, com caches excelentes e ainda fazem contratos de exploração de imagem, que são bastante rentáveis.

Segundo autor de “Gago”, os artistas não ficam ricos ao comercializarem os seus discos, mas é garantia de reconhecimento e que o CD catapulta para outros patamares, vindo o prestígio, com espectáculos, promoção da sua imagem, e nascendo assim contratos vantajosos para o músico.

“Eu, particularmente, vivo do meu trabalho. Com algumas dificuldades, próprias da conjuntura da vida, tenho sabido viver do rendimento do meu trabalho e agradeço à Deus por poder viver do meu trabalho, é o único dom que tenho e com humildade, profissionalismo e destreza tenho levado o barco a bom porto”, explicou.

Yuri da Cunha, artista que nasceu na cidade do Sumbe, província do Cuanza Sul, começou na música como cantor pio. Lançou o primeiro CD “É tudo Amor”, em 1999, e o segundo intitulado “Eu”, em 2005.

Vencedor de vários troféus nacionais e internacionais, Yuri da Cunha ganhou o prémio Rádio Luanda 2008, na categoria “Kianda do Sucesso”, pela quantidade de shows realizados ao longo do ano e valorização da cultura nacional

Em 2004, com a música Makumba, venceu o Top Rádio Luanda. É também o vencedor do prémio Rádio Luanda 2008, na categoria Kianda do Sucesso pela quantidade de shows realizados e reconhecimento da cultura. Em 2009 participou numa tournée de Eros Ramazzotti, por diversos países europeus.

Em 2010 colocou no mercado o disco Kuma Kua Kié. Vencedor do Top dos Mais Queridos por duas vezes em 2009 e 2015.

Comentários