Artigo

De Selena Gomez a Ellen DeGeneres: As mulheres que estão a mudar o mundo, segundo a Time

A Time lançou uma edição especial ( “Firsts: Woman Who Are Changing the World”) sobre as mulheres que estão a mudar o mundo.

A lista da revista Time inclui mulheres de todas as áreas, destacando-se na área do entretenimento e do mundo artístico Selena Gomez, Aretha Franklin, Shonda Rhimes, Ellen DeGeneres, Oprah Winfrey, Ava DuVernay e Issa Rae.

Algumas das personalidades escolhidas pela Time protagonizam as capas da revista. É o caso de Selena Gomes, a primeira pessoa a conquistar 100 milhões de seguidores no Instagram. "Estou feliz por ter crescido na época em que cresci. Acho que é muito difícil ser criança agora, especialmente com as redes sociais. Não consigo imaginar como seria crescer com isto. Já é difícil levantar todos os dias e sentirmo-nos bem connosco mesmos sem ver as melhores partes da vida dos outros", explicou a cantora.

Já Aretha Franklin é destacada por ter sido a primeira mulher a entrar Rock and Roll Hall of Fame. "Não achava que minhas músicas se tornariam em hinos para as mulheres. Mas estou muito feliz. As mulheres provavelmente sentem compaixão imediatamente e identificam-se com as letras", frisou a cantora à publicação.

Shonda Rhimes é elogiada pela Time por ser a primeira mulher no mundo a criar três séries de sucesso com mais de 100 episódios cada. "Não via muita televisão antes de começar a escrever e queria criar personagens que me dessem vontade de ver. Fiquei muito surpreendida ao descobrir que as pessoas achavam que Meredith Grey e Cristina Yang eram revolucionárias – elas eram como as mulheres que conheci", contou a produtora e criadora de "Anatomia de Grey", "Private Practice" e "Scandal".

Ellen DeGeneres merece a atenção da revista por ser a primeira a interpretar uma personagem abertamente homossexual numa série (na sitcom "Ellen") de horário nobre da televisão norte-americana. "Tudo na minha vida é exatamente perfeito nas coisas boas e especialmente nas coisas más — foram as coisas más que me fizeram ser quem sou e que fizeram de mim uma pessoa mais sensível. Então, não mudava nada na minha vida, nem a forma como me assumi. Estava a carregar um medo em torno disso, pensava que se as pessoas descobrissem que eu era gay, iria perder tudo. Mas não queria ter um segredo", confessou a apresentadora à Time.

Oprah Winfrey, a primeira mulher a ter e produzir o seu próprio talk-show, também é capa da revista. "Lembro-me de ter dito que uma das razões pelas quais queria fazer o programa era para fazer com que as pessoas soubessem que não estavam sozinhas", contou a apresentadora.

Issa Rae também está na lista da Time por ter sido a primeira mulher negra a criar e protagonizar uma série na televisão por subscrição nos Estados Unidos (“Insecure”, da HBO). Já Ava DuVernay destacou-se como a primeira mulher negra a realizar "Selma", que foi nomeado ao Óscar de melhor filme.

Comentários