Artigo

'Os Trapalhões' regressa à Globo com nove episódios inéditos

O espírito trapalhão está de volta e, desta vez, com novos adeptos do humor que marcou época e influenciou gerações. ‘Os Trapalhões’, que completa 40 anos em 2017, volta com nove episódios inéditos, a partir de dia 24 de Setembro.

Didi ( Renato Aragão ), Dedé ( Dedé Santana ), Didico ( Lucas Veloso ), Dedeco ( Bruno Gissoni ), Mussa ( Mumuzinho ), Zaca ( Gui Santana ) e Tião ( Nego do Borel )

Os telespectadores vão poder conhecer quatro novos integrantes, Didico (Lucas Veloso), Dedeco (Bruno Gissoni), Mussa (Mumuzinho) e Zaca (Gui Santana), liderados por Didi (Renato Aragão) e Dedé (Dedé Santana). Os dois humoristas são agora mestres dessa equipa, para ensiná-los a arte de ser um verdadeiro ‘Trapalhão’. O sexteto reviverá personagens que conquistaram o coração dos telespectadores, num resgate do humor malandro e ingénuo que mudou o lugar do riso na televisão.‘Os Trapalhões’ estreia dia 24, no canal Globo e tem direcção geral de Fred Mayrink, redacção final de Péricles Barros e supervisão de texto de Mauro Wilson.

Os Trapalhões
Didi ( Renato Aragão )

 E, a cada episódio, diferentes sketches trazem de volta, em situações actuais e inéditas, quadros de sucesso, como reuniões de super-heróis, o quartel- general, os famosos musicais, entre outros. Os personagens Tião e o famoso Sargento Pincel também estarão de volta, agora interpretados por Nego do Borel e Ernani Morais, respectivamente. "O programa traz esse jeito trapalhão de ser. Quem viveu ‘Os Trapalhões' como eu vivi vai relembrar grandes momentos e, quem não conheceu, vai ter a oportunidade de conhecer um tipo de humor que é só deles, com essa aura circense e essa comédia ingénua” afirma o director-geral da atracção.

Os Trapalhões
Mussa ( Mumuzinho )

 Péricles Barros, responsável pela redacção final, e Mauro Wilson, que assina a supervisão de texto, falam sobre a responsabilidade e o privilégio de recriar algo tão marcante na TV. “Procuramos manter a essência do grupo. Mas tivemos a oportunidade de colocar elementos da actualidade, como GPS e videojogos nas piadas. O espírito das situações remete à alegria de sempre” afirma Péricles. “A volta dos 'Trapalhões' está baseada em dois pilares: é uma grande homenagem para quem quer matar a saudade e uma divertida novidade para quem nunca viu”, define Mauro Wilson.

Os Trapalhões
Didico ( Lucas Veloso )

 No total, serão nove episódios, emitidos semanalmente a partir de dia 24. E, a cada programa, diferentes sketches farão o público divertir-se com o humor directo, visual e cheio de improvisos. Além de momentos inéditos, o programa trará de volta, com uma nova roupagem, sketches que fizeram sucesso. O famoso quartel-general aparece de novo, desta vez com Ernani Morais no papel de Sargento Pincel.

Os Trapalhões
Didi (Renato Aragão), Zaca ( Gui Santana ) , Dedeco ( Bruno Gissoni ) e Mussa ( Mumuzinho ) e Didico ( Lucas Veloso )créditos: Ricardo Borges

Outro personagem querido do público, dono do debochado bordão “Nojento! Tchan!” também voltará à cena, na voz de Tião, interpretado por Nego do Borel. Os musicais, clássicos da antiga versão do grupo também retornam ao programa. A cada episódio, um número musical diferente, no qual os personagens apresentam paródias de sucessos do passado e da actualidade, e também sketches históricos, como “Papai eu quero me casar”, que será revivido numa nova gravação.

Os Trapalhões
Didico ( Lucas Veloso ), Dedeco ( Bruno Gissoni ), Mussa ( Mumuzinho ) e Zaca ( Gui Santana )

 Outro quadro que estará de volta será a reunião de super-heróis, mas desta vez com novos vigilantes: Super Super (Renato Aragão), Capitão Ferrugem (Lucas Veloso), Homem Morcega (Dedé Santana), Menino Perereca (Bruno Gissoni), Turbo Boy (Mumuzinho), Incrível Muque (Gui Santana), Piolho Prateado (Nego do Borel) e até uma Mulher Silicone (Letícia Lima). Durante toda a temporada, o programa contará com a presença de convidados especiais em alguns quadros, vivendo diferentes personagens e aprendendo, juntos com o novo grupo, como ser um verdadeiro trapalhão.

Comentários