Os direitos daquele que é considerado um dos maiores romances de todos os tempos foram adquiridos pelo realizador de «Moulin Rouge», com objectivo de fazer dele o seu próximo filme.

A história é a de Nick Carraway e da sua memória do que foi a vida na Nova Iorque de inícios dos anos 20, principalmente da sua relação com os Buchanan e, principalmente, da amizade que partilhou com Jay Gatsby. O livro foi escrito em 1925 mas, segundo declarações do realizador ao «Hollywood Reporter», a sua actualidade nunca foi maior: «As pessoas vão precisar de uma explicação de onde é que estamos e de onde é que viemos, e o «O Grande Gatsby» pode dar essa explicação».

Os motivos que geraram a actual situação económica serão, para Luhrmann, compreensíveis à luz do filme, e uma forma perfeita de fazer o público compreender as razões da crise: «Se quisermos mostrar um espelho às pessoas que diga "vocês tem estado embriagados de dinheiro", elas não iriam querer vê-lo. Mas se reflectirmos esse espelho noutra época, elas já estarão dispostos a ver». Actualmente em fase de pré-produção, a rodagem só deverá arrancar em 2010.

O romance já foi filmado quatro vezes, a primeira das quais, de 1926, é considerada um filme perdido, embora então fosse bastante elogiada pela fidelidade à matriz original. Em 1949, Elliott Nugent tentou a sua sorte com Alan Ladd como protagonista, mas a versão mais famosa surgiria em 1974, com Robert Redford e Mia Farrow nos papéis principais, dirigidos por Jack Clayton. No ano 2000, «O Grande Gatsby» seria ainda adaptado para um telefilme, protagonizado por Toby Stephens e Mira Sorvino.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.