Michael B. Jordan recebeu pouco dinheiro por "Black Panther", mas garante que a partir de agora acabaram os descontos e será "uma história completamente diferente".

Segundo um novo perfil da revista Vanity Fair, o ator quer vingar não apenas como ator mas em todos os aspetos de Hollywood, apostando em criar projetos como produtor.

Determinante nessa trajetória parece ser a fama recentemente conquistada graças ao papel do vilão N'Jadaka em "Black Panther".

Segundo a reportagem, Jordan apenas recebeu dois milhões de dólares pela participação no filme que, além de se ter tornado um fenómeno cultural, rendeu mais de dois mil milhões em todo o mundo.

Terá ainda direito a alguns "royalties" da exploração do filme noutros formatos, baseado na estrutura financeira dos filmes de super-heróis de filmes.

Apesar da experiência acumulada e do sucesso de "Creed - O Legado de Rocky", onde interpretava o filho do pugilista Apollo Creed, o ator admite que era um "novato" quando assinou o contrato para se juntar ao mundo da Marvel e não tinha chegado à posição de pedir o dinheiro que parece agora ser possível.

Sem esconder a ambição e a poucas semanas da estreia de "Creed 2", afirma estar num momento decisivo e que acabou a época de descontos.

"Seguindo em frente, é uma história completamente diferente.  Este é o momento decisivo em muitas áreas diferentes para mim, que vai definir os meus próximos 5 a 10 [anos]", explica.

"É por isso que estou tão empenhado neste momento, porque se alguma vez existiu uma fase para ficar distraído ou, tipo, desleixar-me, não é esta", garante.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.