Francis Ford Coppola não só concorda como reforça as críticas de Martin Scorsese sobre os filmes de super-heróis da Marvel.

O lendário realizador de 80 anos, responsável pela saga de "O Padrinho", e filmes como "Cotton Club", "Rumble Fish - Juventude Inquieta" e "Tucker - Um Homem e o Seu Sonho", recebeu o Prémio Lumière de Carreira, do festival de cinema que encerrou no domingo.

No início do mês, numa entrevista à revista de cinema Empire, Scorsese afirmou que os filmes da Marvel "não são cinema", comparando-os antes a "parques de diversão", onde os atores se safam como podem, o que provocou reações inflamadas não só de vários fãs dos filmes de super-heróis mas também de vários dos profissionais que neles trabalharam.

Confrontado com as declarações em conferência de imprensa do seu contemporâneo, do mesmo grupo de 'movie brats' do final dos anos de 1960, Coppola concordou e ainda foi mais longe.

"Quando Martin Scorsese diz que os filmes da Marvel não são cinema, ele está correto porque esperamos aprender algo do cinema, esperamos ganhar algo, algum conhecimento, inspiração. Não creio que se retire algo de andar sempre a ver o mesmo filme", defendeu.

"O Martin foi bondoso quando disse que não é cinema. Ele não disse que é desprezível, o que acabo de dizer que é", rematou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.