O evento denominado “Festa do Cinema Angolano” traz a cartaz três filmes: o documentário “Imoshi”, realizado por Tony Nguxi, que nos mostra a expedição de activistas de oito países a Kawewe, 900 anos atrás; o filme "Um dia de Assalto" que retrata a vida de três jovens despedidos por reivindicarem os seus direitos, envolvendo-se depois num assalto que termina em tragédia; e ainda “Kahitu”, de Alberto Botelho, um drama que reflecte sobre os valores socioculturais, onde os mitos e as crenças predominam e influenciam a conduta da população.

De acordo com uma nota enviada ao SAPO, as longa-metragens angolanas serão exibidas em todas as salas do Cinemax, com bilhetes no preço promocional único de 900kz, com o objectivo de permitir o acesso a uma audiência maior e mais diversificada.

“Ao exibir estes filmes, o Cinemax quer dar a conhecer ao grande público alguns dos realizadores e actores nacionais e ajudar a promover o cinema angolano. Ao mesmo tempo, pretende reforçar a aposta na produção cinematográfica nacional, à semelhança do que já acontece em outros países africanos, como a Nigéria, a África do Sul e o Quénia”, refere o documento.

Michel Ferreira, director do Cinemax convida todos os cinéfilos a apoiarem esta causa.

“Esperamos que o público responda a este desígnio. Que o trabalho de promoção do cinema angolano seja bem-recebido e possa surtir efeito positivo para os seus cineastas, actores e produtores. É, no fundo, um trabalho de valorização da cultura angolana, sendo que os filmes trazem um pouco deste contexto - a língua, os hábitos e costumes, etc. É nisto que o Cinemax também aposta”, frisa o responsável.

De referir que, com a "Festa do Cinema Angolano", o Cinemax pretende continuar a divulgar filmes produzidos em Angola, dando continuidade às exibições feitas no passado dos filmes "Sexta-Feira Mwangolé", "Mais Um Dia de Vida" e o documentário da National Geographic, "Into the Okavango".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.