A associação que junta os exibidores das salas de cinema americanas (conhecida como NATO) recebeu garantias de que outros grandes filmes que Hollywood tem para 2020 mantêm as datas de estreia e o adiamento de "007: Sem Tempo Para Morrer" por causa do coronavírus é um caso "único" e especial.

As conversações da NATO "com outros distribuidores de filmes confirmam que uma lista forte de títulos globais e locais continuará a ser lançada nos cinemas em todos os territórios, exceto nos poucos países mais afetados pelo vírus. Os cinemas permanecerão abertos em todo o mundo, com muita afluência [de público], de acordo com as condições locais e em comunicação com as autoridades locais de saúde".

Isto significa que "Mulan" irá chegar aos cinemas a 27 de março (um dia antes em Portugal) e "Viúva Negra"no início de maio, ainda que fontes da publicação especializada The Hollywood Reporter confirmem que a Disney ponderou adiar o primeiro, que está numa situação parecida com "007: Sem Tempo Para Morrer" pois o mercado chinês é muito importante.

Por agora, a Universal também não está a debater alterar a estreia prevista para o fim de maio de "Velocidade Furiosa 9", outra saga que arrecada grande parte das suas receitas fora dos EUA e que é uma das mais fortes na Ásia.

A decisão de adiar a estreia do próximo James Bond de abril para novembro por causa do coronavírus é descrita como "muito singular" e tem a ver com o contexto do estúdio e do próprio filme.

"007: Sem Tempo Para Morrer" custou cerca de 250 milhões de dólares, o que não inclui o marketing, e tem uma importância gigantesca para a MGM, que não possui tantos grandes franchises como outros estúdios de Hollywood.

Os receios com o coronavírus mantêm fechadas 70 mil salas na China, o segundo maior mercado do mundo, e levaram a quebras gigantescas na afluência de espectadores em países como a Coreia do Sul e Itália.

Neste contexto, uma fonte disse ao THR que a quebra de receitas do novo "007" por causa da crise podia chegar a um quarto do total, ou seja, arrecadaria 750 milhões de dólares em vez de mil milhões.

O adiamento cerca de cinco semanas antes da estreia global significou suspender uma campanha muito cara e informar os talentos envolvidos que vão precisar deles mais tarde para fazer a promoção.

Já não foi a tempo de cancelar a presença de Daniel Craig como anfitrião este fim de semana no programa Saturday Night Live, mas o ator informou o estúdio que manterá a agenda livre para promover na nova data o filme que será a sua despedida da saga.

VEJA O TRAILER "007: SEM TEMPO PARA MORRER".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.