O lendário ator, de 80 anos, estrela de "A Primeira Noite", "Rain Man - Encontro de Irmãos", entre outros filmes, já tinha sido acusado por várias mulheres de lhes ter tocado nos seios e nas nádegas.

Na quinta-feira, a atriz Kathryn Rossetter declarou ao site The Hollywood Reporter que foi apalpada por Hoffman entre 1983 e 1985, quando os dois contracenavam na célebre obra "A morte de um caixeiro-viajante", adaptada ao cinema em 1985.

Depois de Hoffman ter ajudado a jovem atriz a obter o seu primeiro papel na Broadway, as coisas ter-se-ão transformado rapidamente numa "experiência horrível e desmoralizadora", relatou Kathryn.

Durante uma encenação da peça em Chicago, na qual ela vestia lingerie e um cinto de ligas - como exigia o seu papel - ele terá tocado na atriz.

Os toques repetiram-se de forma "cada vez mais agressiva" em "quase todas as atuações" e umas "seis a oito vezes por semana". "Noite após noite, voltava para casa a chorar", conta a atriz.

"Por que é que o homem que se tinha esforçado para que eu conquistasse o papel, que o tinha valorizado e, definitivamente, lançado minha carreira, também podia abusar sexualmente do seu poder? Era minha culpa?", questionou.

Hoffman também lhe terá pedido, reiteradamente, que massajasse os seus pés no camarim, pedindo-lhe ainda que subisse "cada vez mais alto" na suas pernas - o que ela, conta, se negou a fazer.

Kathryn explicou que não podia protestar, porque o seu camarim ficava muito perto do palco, e o ajudante do ator ficava de guarda à frente da porta.

A atriz afirma que se propôs a denunciar a conduta de Hoffman a um sindicato de atores de teatro, mas que "profissionais respeitados" a convenceram a recuar na ideia, "já que punha o seu trabalho em risco".

Na altura das revelações do caso Weinstein, no final de outubro, a escritora Anna Graham Hunter acusou o ator de ter apalpado as suas nádegas e de lhe ter feito propostas sexuais em 1985, quando ela tinha apenas 17 anos.

Hoffman divulgou uma breve nota, defendendo-se das acusações.

"Tenho um grande respeito pelas mulheres e sinto-me terrível que qualquer coisa que tenha feito as tenha colocado em uma situação desconfortável. Sinto muito. Não é um reflexo de quem eu sou", completou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.