O festival de cinema de Toronto, o maior da América do Norte, vai juntar-se à onda virtual imposta pela pandemia, obrigando grandes celebridades a apresentarem os seus filmes de forma virtual

A maior cidade do Canadá, que mantém as suas fronteiras fechadas, costuma receber meio milhão de participantes, com passadeiras vermelhas repletas de celebridades e estreias de uma gama variada de filmes, muitos deles prováveis concorrentes aos óscares e produções independentes e à procura de uma distribuidora.

Porém, este ano as próprias estrelas não estarão na lista de convidados do festival (TIFF), que começa em 10 de setembro.

Apenas os amantes do cinema que já vivem em Toronto poderão assistir a cerca de 50 estreias em cinemas drive-in e projeções com distanciamento social, muito menos do que os 300 filmes normalmente exibidos no festival canadiano.

Os organizadores não desistem e têm apresentações programadas com estrelas e lendas como Martin Scorsese, Anthony Hopkins, Nicole Kidman e Kate Winslet, que participarão em eventos de gala e conferências virtuais, como parte deste formato "virtual" que começa na quinta-feira (11).

"Queríamos fazer o festival. Era importante para a nossa audiência e achamos que precisamos de um pouco de inspiração e arte para oferecer", disse à agência AFP Cameron Bailey, um dos responsáveis pelo evento.

"Também existe o facto de que o negócio da indústria cinematográfica - a compra e a venda de filmes que acontece no nosso festival e também noutros - deve continuar", acrescentou.

Projeções simultâneas

Vários dos grandes festivais de cinema foram cancelados este ano, incluindo o maior de todos, Cannes (França) e o elitista Telluride, no Colorado (EUA), grandes rampas para destacar filmes na temporada de prémios.

Toronto procurou colaborar com outros festivais do outono, como o de Veneza, que está a decorrer, e o próximo de Nova Iorque, para promover filmes em conjunto, numa era difícil para a indústria após a paralisação forçada pela pandemia.

"Não faria sentido ser competitivo este ano, com tanto em jogo", disse Bailey.

O TIFF é considerado um importante trampolim para a glória dos Óscares. Ganhadores recentes como "Green Book" e "A Forma da Água" ganharam a estatueta máxima da Academia após triunfarem em Toronto.

O festival abre este ano com o mais recente trabalho de Spike Lee, o filme-concerto "American Utopia", uma adaptação da obra de David Byrne que aborda temas como a violência policial e o racismo contra negros.

O TIFF decorre até 20 de setembro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.