Será a partir das 13h00 (hora de Lisboa) que começam a ser conhecidos a partir de Los Angeles os candidatos nas categorias de cinema e televisão para os Globos de Ouro, anunciados pelos atores Tim Allen, Dakota Fanning e Susan Kelechi Watson.

Para o pequeno ecrã, as escolhas costumam dar visibilidade a novas séries e atores, aproveitando para marcar tendências, mas são as nomeações de cinema que vão dominar as atenções.

Votados por 87 membros da Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood, os Globos de Ouro costumam ser vistos como o grande "antecâmara" dos Óscares, mas apesar de dividirem os prémios entre drama e comédia ou musical e com isso terem mais nomeados, apenas "conseguiram" acertar em cinco dos últimos 15 Óscares de Melhor Filme: "Quem Quer Ser Bilionário?" (2009), "O Artista" (2012), "Argo" (2013), "12 Anos Escravo" (2014) "Moolingh" (2016) e "Green Book - Um Guia Para a Vida" (2018).

Com o dobro dos nomeados em várias categorias, logicamente que vários acabam por entrar na corrida às estatuetas douradas: os Globos são principalmente um barómetro de popularidade dos filmes e atores que estão na corrida e por isso o evento é ponto de paragem obrigatória na campanha.

A favor dos prémios está ainda a fama dos imprevistos: a noite de gala conjuga glamour com informalidade "alimentada" pelo álcool que circula pela sala.

Além das homenagens a Tom Hanks e Ellen DeGeneres pelas carreiras no cinema e televisão, respetivamente com os prémios Cecil B. DeMille e Carol Burnett, há outra certeza para a cerimónia de 5 de janeiro: Ricky Gervais regressa pela quinta vez como anfitrião e, tal como sempre aconteceu, estrelas, filmes, séries e a própria organização dos Globos não vão ser poupados nas piadas.

Com os últimos Óscares e Emmys a abdicarem de mestre de cerimónias, a escolha do controverso comediante britânico é um sinal de que a Associação de Imprensa Estrangeira e o canal NBC estão a apostar forte no combate à progressiva erosão das audiências de todas as cerimónias de prémios, não confiando apenas na popularidade dos nomeados.

Duas certezas e muitos candidatos em cinema

Nas prováveis nomeações, as únicas apostar certas são os incontornáveis "O Irlandês" (Martin Scorsese) e "Era Uma Vez... em Hollwood" (Quentin Tarantino), respetivamente da corrida a Melhor Filme Drama e Melhor Filme Comédia ou Musical.

Nos dramas, as outras quatro nomeações deverão vir de um grupo que inclui "Marriage Story" (Noah Baumbach), "Le Mans '66: O Duelo" (James Mangold), "1917" (Sam Mendes), "O Caso de Richard Jewell" (Clint Eastwood), "Joker" (Todd Phillips), "Mulherzinhas" (Greta Gerwig), "Uncut Gems" (irmãos Safdie), "Bombshell - O Escândalo" (Jay Roach), "A Beautiful Day in the Neighborhood" (Marielle Heller) e "The Two Popes" (Fernando Meirelles).

Nas comédias ou musicais, as nomeações podem ainda passar por "Jojo Rabbit" (Taika Waititi), "Knives Out - Todos São Suspeitos" (Rian Johnson), "Rocketman" (Dexter Fletcher), "Ousadas e Golpistas" (Lorene Scafaria), "Cats" (Tom Hooper), "Dolemite Is My Name" (Craig Brewer) e "Booksmart: Inteligentes e Rebeldes" (Olivia Wilde).

Entre os atores, a categoria de Drama volta a ser a mais forte e só há cinco vagas para dividir entre Joaquin Phoenix ("Joker"), Adam Driver ("Marriage Story"), Robert De Niro ("O Irlandês), Christian Bale e Matt Damon ("Le Mans '66: O Duelo"), Antonio Banderas ("Dor e Glória"), Jonathan Pryce ("The Two Popes"), Adam Sandler ("Uncut Gems"), Brad Pitt ("Ad Astra") e Paul Walter Hauser ("O Caso de Richard Jewell").

Entre as atrizes, entre as candidatas potenciais para Drama estão Renée Zellweger ("Judy"), Scarlett Johansson ("Marriage Story"), Lupita Nyong’o ("Nós"), Saoirse Ronan ("Mulherzinhas"), Charlize Theron ("Bombshell"), Cynthia Erivo ("Harriet") e Alfre Woodard ("Clemency").

Nas Comédias ou Musicais, não devem faltar nomeações para os atores Leonardo DiCaprio (Era Uma Vez... em Hollywood"), Taron Egerton ("Rocketman") e Eddie Murphy ("Dolemite Is My Name"), com a concorrência de Daniel Craig ("Knives Out"), Himesh Patel ("Yesterday"), Roman Griffin Davis ("Jojo Rabbit") e até Shia LaBeouf ("O Falcão Manteiga de Amendoim") ou Will Smith ("Aladdin").

Na mesma categoria, mas nas atrizes, podem surgir Awkwafina ("The Farewell"), Ana de Armas ("Knives Out"), Constance Wu ("Ousadas e Golpistas"), Beanie Feldstein e Kaitlyn Dever ("Booksmart"), Emilia Clarke ("Last Christmas"), Emma Thompson e Mindy Kaling ("Late Night"). E se os Globos a quiserem para a festa e as audiências, ainda pode surgir Angelina Jolie ("Maléfica 2").

Nos atores secundários, sem divisões entre Drama e Comédia ou Musical, os candidatos mais fortes têm interpretações que podem ser consideradas de protagonismo: Brad Pitt ("Era Uma Vez..."), Al Pacino e Joe Pesci ("O Irlandês), Anthony Hopkins ("The Two Popes"), Tom Hanks ("A Beautiful Day in the Neighborhood) e Willem Dafoe ("O Farol"). A eles podem juntar-se John Lithgow ("Bombshell"), Wesley Snipes ("Dolemite Is My Name"), Sam Rockwell ("O Caso de Richard Jewell" ou "Jojo Rabbit"), Alan Alda ("Marrige Story"), Jamie Foxx ("Just Mercy") ou Tracy Letts ("Le Mans '66: O Duelo").

Nas atrizes secundárias existe mais incerteza: seguras devem estar Laura Dern ("Marriage Story") e Jennifer Lopez ("Ousadas e Golpistas"). As outras nomeações podem vir de Kathy Bates ("O Caso de Richard Jewell"), Margot Robbie e Nicole Kidman ("Bombshell"), Zhao Shuzhen "(The Farewell"), Florence Pugh e Meryl Streep ("Mulherzinhas"), Da’Vine Joy Randolph ("Dolemite Is My Name") e Scarlett Johansson ("Jojo Rabbit").

As animações, as tendências dos Globos alinham com os grandes estúdios, o que favorece "Frozen II", "Toy Story 4", "Como Treinares o Teu Dragão: O Mundo Secreto", "Mr. Link", "Klaus" e "A Vida Secreta dos Nossos Bichos 2", enquanto as nomeações para Melhor Filme Estrangeiro não devem falhar a "Parasitas" (Coreia do Sul) e "Dor e Glória" (Espanha).

Novos rostos nas categorias de TV?

Ainda que acabem por ser vistos como redundantes depois dos Emmys em setembro, os Globos também homenageiam o melhor da televisão.

Muitas das nomeações costumam coincidir entre as duas organizações, mas os Globos adicionam algumas novidades, procurando assim lançar novas tendências. Como vem sendo habitual, os maiores beneficiados serão Netflix, HBO, Amazon e FX, agora já com a concorrência da Apple TV+, enquanto ABC, NBC, CBS e Fox ficam de fora.

Entre o consagrado e as estreias, a categoria de Melhor Série em Drama pode juntar "A Guerra dos Tronos", "The Crown", "Pose", "Big Little Lies", "Killing Eve" e "The Handmaid’s Tale", mas também "Succession", "Watchmen" ou "The Morning Show".

Nas comédias ou musicais, "Fleabag", "The Marvelous Mrs. Maisel", "Barry" e "Veep" poderão ter a companhia ou concorrência de "The Politician", "The Good Place" ou "Schitt’s Creek".

Nas minisséries ou telefilmes, são incontornáveis "Chernobyl" e "Fosse/Verdon", mas espreitam ainda "El Camino" (a sequela de "Breaking Bad"), "When They See Us", "Unbelievable", "Catherine the Great", "The Loudest Voice" ou "The Act".

Nas nomeações para as várias categorias de interpretação, além das estrelas de "A Guerra dos Tronos" e "Big Little Lies", podem estar Olivia Colman e Helena Bonham Carter ("The Crown"), Jennifer Aniston ("The Morning Show"), Nicole Kidman ("Big Little Lies"), Helen Mirren ("Catherine the Great"), Sandra Oh ("Killing Eve"), Regina King ("Watchmen"), Phoebe Waller-Bridge ("Fleabag"), Rachel Brosnahan ("The Marvelous Mrs. Maisel"), Sam Rockwell e Michelle Williams ("Fosse/Verdon"), Michael Douglas ("The Kominsky Method"), Aaron Paul ("El Camino"), Mahershala Ali ("True Detective") ou Sacha Baron Cohen ("The Spy").

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.