A cerimónia dos Globos de Ouro acontece já no domingo à noite em Los Angeles (madrugada de segunda-feira em Portugal).

Os prémios distinguem filmes e séries, mas as atenções vão estar nos primeiros: divididos entre Drama e Comédia e Musical, os eleitos dos 87 membros da Associação de Imprensa Estrangeira em Hollywood serão considerados oficialmente os favoritos na corrida aos Óscares... pelo menos até à próxima cerimónia mediática, a dos prémios do Sindicato dos Atores,  no dia 19, baralhar alguns cálculos e multiplicar as teorias.

Com a fama dos imprevistos pois a noite de gala conjuga o glamour com a informalidade "alimentada" pelo álcool que circula pela sala, os Globos são o momento em que aumenta "a sério" a intensidade da temporada de prémios e ponto de paragem obrigatória na campanha das estrelas.  Transmitidos pelo canal nacional NBC para vários países (mas não Portugal), todos sabem que um discurso, uma piada, até uma expressão apanhada pelas câmaras, pode fazer a diferença.

Além das homenagens a Tom Hanks e Ellen DeGeneres pelas carreiras no cinema e televisão, respetivamente com os prémios Cecil B. DeMille e Carol Burnett, há outra certeza para a cerimónia: Ricky Gervais regressa pela quinta vez como anfitrião.

Após os últimos Óscares e Emmys abdicarem de mestre de cerimónias, a escolha do controverso comediante britânico é um sinal de que a Associação de Imprensa Estrangeira e o canal NBC estão a apostar forte no combate à progressiva quebra das audiências neste tipo de eventos, não confiando apenas na popularidade dos nomeados.

O preço a "pagar" é que as estrelas vão ter de mostrar muito "fair-play" pois sabem, pelas vezes anteriores, que não ser poupadas (ou os seus trabalhos).

A própria Associação não deve esperar tratamento diferente, principalmente após ter sido bastante criticada por desprezar os filmes realizados por mulheres e estar desfasada dos novos tempos (o presidente Lorenzo Soria defendeu-se, comentando que "não votamos por género, votamos por filmes e mérito" e, ironia, após diminuir a intensidade da polémica até se soube que metade dos votantes são do sexo feminino).

Streaming chegou com força aos filmes, mas irá quebrar o tabu?

Habituada a ganhar nas séries, há um ano a Netflix conseguiu pela primeira vez destacar-se nos filmes com "Roma", que recebeu os prémios de Melhor Filme Estrangeiro e ainda pela realização de Alfonso Cuarón. Estas escolhas foram "confirmadas" nos Óscares, tal como a do tradicional "Green Book - Um Guia Para a Vida", que fora o vencedor do Melhor Filme Drama ("Roma" não era elegível).

Na edição a seguir, o domínio da plataforma de streaming nos Globos aumentou: em 10 filmes nomeados, coloca três na corrida a Melhor Drama ("Marriage Story", "O Irlandês" e "Dois Papas" e mais um para Comédias ou Musical ("Chamem-me Dolemite").

Realizado por Noah Baumbach, "Marriage Story", um olhar profundo e humano sobre o fim de um casamento e a união de uma família, lidera com seis nomeações e divide a favoritismo nos dramas com "O Irlandês", de Martin Scorsese, estando ainda nomeados "1917", de Sam Mendes, "Joker", de Todd Phillips, e o referido "Dois Papas", de Fernando Meirelles.

Normalmente com menos destaque mediático, será uma surpresa gigantesca se o prémio na categoria Comédia ou Musical escapar a "Era Uma Vez... em Hollywood", de Quentin Tarantino e for para "Jojo Rabbit", de Taika Waititi, "Knives Out - Todos São Suspeitos", de Rian Johnson, "Rocketman", de Dexter Fletcher, ou "Chamem-me Dolemite", de Craig Brewer.

Mais arriscada é a corrida a Melhor Realização, tão criticada por só incluir homens, devido ao prestígio dos nomeados e à admiração pelos filmes: concorrem Bong Joon Ho ("Parasitas"), Sam Mendes ("1917"), Phillips ("Joker"), Scorsese ("O Irlandês") e Tarantino ("Era Uma Vez...").

Entre os atores, a categoria de Drama juntou o favorito Joaquin Phoenix ("Joker"), que terá a forte disputa com Adam Driver ("Marriage Story"), Christian Bale ("Le Mans '66: O Duelo"), Antonio Banderas ("Dor e Glória") e Jonathan Pryce ("Dois Papas").

Entre as atrizes, a corrida parece estar mais inclinada para Renée Zellweger ("Judy") ou Charlize Theron ("Bombshell"), mas sem excluir Cynthia Erivo ("Harriet"), Scarlett Johansson ("Marriage Story") e Saoirse Ronan ("Mulherzinhas").

Para Comédia ou Musical, fala-se principalmente nos atores Leonardo DiCaprio ("Era Uma Vez... em Hollywood") e Eddie Murphy ("Chamem-me Dolemite"), mas os outros nomeados são Taron Egerton ("Rocketman"), Daniel Craig ("Knives Out") e o jovem Roman Griffin Davis ("Jojo Rabbit").

Nas atrizes, a favorita Awkwafina ("The Farewell") está nomeada com Ana de Armas ("Knives Out"), Beanie Feldstein ("Booksmart"), Emma Thompson ("Late Night") e Cate Blanchett ("Onde Estás, Bernadette?").

Nos atores secundários, sem divisões entre Drama e Comédia ou Musical, as apostas estão quase todas em Brad Pitt ("Era Uma Vez... em Hollywood"), que está nomeado com Pacino e Joe Pesci ("O Irlandês), Anthony Hopkins ("Dois Papas") e Tom Hanks ("A Beautiful Day in the Neighborhood").

Nas atrizes secundárias, acredita-se que a escolhida será Jennifer Lopez ("Ousadas e Golpistas") ou então Laura Dern ("Marriage Story"). Também estão nomeadas Kathy Bates ("O Caso de Richard Jewell"), Margot Robbie ("Bombshell") e Annette Bening "(The Report").

Noutas categorias, os Globos podem destacar "Marriage Story" (Argumento), "Parasitas" (Filme Estrangeiro), "Toy Story 4" (animação), "1917" (banda sonora) e “(I’m Gonna) Love Me Again" de "Rocketman" (canção).

Novidades nas séries, mas "A Guerra dos Tronos" foi rejeitada na despedida

Ainda que acabem por ser vistos como algo redundantes depois dos Emmys em setembro, os Globos também homenageiam o melhor das séries, onde aproveitam para destacar algumas novidades, procurando assim lançar novas tendências.

As nomeações destacaram "Chernobyl" e "Unbelievable" (nas minisséries) e a terceira temporada de "The Crown" (série Drama), todas com quatro nomeações. A grande surpresa foi a rejeição da última temporada de "A Guerra dos Tronos": apenas Kit Harington está nomeado para Melhor Ator.

Sem ser novidade, o domínio do streaming é avassalador e os canais ABC, NBC, CBS e Fox passam ao lado.

Nas Comédias ou Musicais, só "Barry", da HBO, escapou: os outros nomeados são "The Marvelous Mrs. Maisel" (Amazon Prime), "The Kominsky Method", "The Politician" (Netflix) e "Fleabag" (co-produção Amazon Prime com BBC), e esta última dificilmente não acumulará os Emmys com os Globos.

Nos Dramas estão "The Crown" (Netflix) e "The Morning Show" (Apple TV+), que concorrem com "Big Little Lies" e "Succession" (HBO) e "Killing Eve" (BBC America). Há quem aposte aqui na grande novidade, que é "The Morning Show".

Nas Minisséries ou Telefilmes foram nomeados "Unbelievable" (Netflix) e "Catch 22" (Hulu) juntamente com "Chernobyl" (HBO), "Fosse/Verdon" (FX) e "The Loudest Voice" "Showtime). Os analistas dividem-se entre os previsíveis "Chernobyl" e "Unbelievable", mas salientam que os votantes com mais idade podem favorecer "Fosse/Verdon" .

LISTA COMPLETA DE NOMEADOS

CINEMA

MELHOR FILME (DRAMA)
"1917", de Sam Mendes
"O Irlandês", de Martin Scorsese
"Joker", de Todd Phillips
"Marriage Story", de Noah Baumbach
"Dois Papas", de Fernando Meirelles

MELHOR FILME (COMÉDIA OU MUSICAL)
"Era Uma Vez... em Hollywood", de Quentin Tarantino
"Jojo Rabbit", de Taika Waititi
"Knives Out - Todos São Suspeitos", de Rian Johnson
"Rocketman", de Dexter Fletcher
"Chamem-me Dolemite" ,de Craig Brewer

MELHOR REALIZAÇÃO
Bong Joon Ho ("Parasitas")
Sam Mendes ("1917")
Todd Phillips ("Joker")
Martin Scorsese ("O Irlandês")
Quentin Tarantino ("Era Uma Vez...")

MELHOR ATOR (DRAMA)
Antonio Banderas ("Dor e Glória")
Christian Bale ("Le Mans '66: O Duelo")
Adam Driver ("Marriage Story")
Joaquin Phoenix ("Joker")
Jonathan Pryce ("Dois Papas")

MELHOR ATRIZ (DRAMA)
Cynthia Erivo ("Harriet")
Scarlett Johansson ("Marriage Story")
Saoirse Ronan ("Mulherzinhas")
Charlize Theron ("Bombshell")
Renée Zellweger ("Judy")

MELHOR ATOR (COMÉDIA OU MUSICAL)
Daniel Craig ("Knives Out")
Leonardo DiCaprio (Era Uma Vez... em Hollywood")
Taron Egerton ("Rocketman")
Roman Griffin Davis ("Jojo Rabbit")
Eddie Murphy ("Chamem-me Dolemite")

MELHOR ATRIZ (COMÉDIA OU MUSICAL)
Awkwafina ("The Farewell")
Ana de Armas ("Knives Out")
Beanie Feldstein ("Booksmart: Inteligentes e Rebeldes")
Emma Thompson ("Late Night")
Cate Blanchett ("Onde Estás, Bernadette?")

MELHOR ATOR SECUNDÁRIO
Brad Pitt ("Era Uma Vez... em Hollywood")
Anthony Hopkins ("Dois Papas")
Tom Hanks ("A Beautiful Day in the Neighborhood)
Al Pacino ("O Irlandês")
Joe Pesci ("O Irlandês)

MELHOR ATRIZ SECUNDÁRIA
Kathy Bates ("O Caso de Richard Jewell")
Annette Bening "(The Report")
Laura Dern ("Marriage Story")
Jennifer Lopez ("Ousadas e Golpistas")
Margot Robbie ("Bombshell")

MELHOR ARGUMENTO
Era Uma Vez... em Hollywood
O Irlandês
Marriage Story
Parasitas
Dois Papas

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
A Despedida" (EUA, mas cuja língua principal não é o inglês)
Dor e Glória (Espanha)
Os Miseráveis (França)
Parasitas (Coreia do Sul)
Portrait de la jeune fille en feu (França)

MELHOR FILME DE ANIMAÇÃO
Como Treinares o Teu Dragão: O Mundo Secreto
Frozen II: O Reino do Gelo,
Mr. Link
O Rei Leão
Toy Story 4

MELHOR BANDA SONORA ORIGINAL
1917
Joker
Marriage Story
Mulherzinhas
Os Órfãos de Brooklyn

MELHOR MÚSICA ORIGINAL
"Beautiful Ghosts" (Cats) — Taylor Swift & Andrew Lloyd Webber
"I'm Gonna Love Me Again" (Rocketman) — Elton John & Bernie Taupin
"Into the Unknown" (Frozen 2) — Robert Lopez & Kristen Anderson-Lopez
"Spirit" (O Rei Leão) — Beyoncé Knowles-Carter, Timothy McKenzie & Ilya Salmanzadeh
"Stand Up" (Harriet) — Joshuah Brian Campbell & Cynthia Erivo

TELEVISÃO

MELHOR SÉRIE (DRAMA)
"Big Little Lies"
"The Crown"
"Killing Eve"
"The Morning Show"
"Succession"

MELHOR ATOR (SÉRIE DRAMA)
Brian Cox ("Succession")
Kit Harington ("A Guerra dos Tronos")
Tobias Menzies ("The Crown")
Billy Porter ("Pose")
Rami Malek ("Mr. Robot")

MELHOR ATRIZ (SÉRIE DRAMA)
Jennifer Aniston ("The Morning Show")
Olivia Colman ("The Crown")
Jodie Comer ("Killing Eve")
Nicole Kidman ("Big Little Lies")
Reese Witherspoon ("The Morning Show")

MELHOR SÉRIE (COMÉDIA)
"Barry"
"Fleabag"
"The Kominsky Method"
"The Marvelous Mrs. Maisel"
"The Politician"

MELHOR ATOR (COMÉDIA OU MUSICAL)
Michael Douglas ("The Kominsky Method")
Bill Hader ("Barry")
Ben Platt ("The Politician")
Paul Rudd ("Living With Yourself")
Rami Youssef ("Ramy")

MELHOR ATRIZ (COMÉDIA OU MUSICAL)
Christina Applegate ("Dead to Me")
Rachel Brosnahan ("The Marvelous Mrs. Maisel")
Kirsten Dunst ("On Becoming a God in Central Florida")
Natasha Lyonne ("Russian Doll")
Phoebe Waller-Bridge ("Fleabag")

MELHOR TELEFILME OU MINISSÉRIE
"Catch 22"
"Chernobyl"
"Fosse/Verdon"
"The Loudest Voice"
"Unbelievable"

MELHOR ATOR EM TELEFILME OU MINISSÉRIE
Russell Crowe ("The Loudest Voice")
Jared Harris ("Chernobyl")
Sam Rockwell ("Fosse/Verdon")
Christopher Abbott ("Catch 22")
Sacha Baron Cohen ("The Spy")

MELHOR ATRIZ EM TELEFILME OU MINISSÉRIE
Joey King ("The Act")
Katilyn Dever ("Unbelievable")
Helen Mirren ("Catherine the Great")
Michelle Williams ("Fosse/Verdon")
Merritt Wever ("Unbelievable")

MELHOR ATOR SECUNDÁRIO EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Alan Arkin ("The Kominsky Method
Kieran Culkin ("Succession")
Andrew Scott ("Fleabag"
Stellan Skarsgård ("Chernobyl")
Henry Winkler ("Barry")

MELHOR ATRIZ SECUNDÁRIA EM SÉRIE, MINISSÉRIE OU TELEFILME
Patricia Arquette ("The Act")
Toni Collette ("Unbelievable")
Meryl Streep ("Big Little Lies")
Emily Watson ("Chernobyl")
Helena Bonham Carter ("The Crown")

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.