Sobre o filme, que já está disponível nas salas de cinema (Cinemax) em Luanda, Benguela e Lubango, disse o próprio realizador: “Trata-se de uma fantástica mescla de angolanidade e africanidade, é um trabalho feito com angolanos e para angolanos, com o grande objectivo de formar e transformar a juventude”, garantiu.

Para Hochi-Fu trabalhar com a geração juvenil não foi tarefa difícil, visto que sempre apostou nisto. “Não fiz nada diferente do que já estou acostumado a fazer (trabalhar com jovens), não foi uma selecção complicada, usei e abusei da minha confiança e intuição e , por fim, consegui”, afiançou o profissional de cinema.

“Isto ainda não é Hollywood nem Bollywood, mas é certamente um passo para novas e melhores coisas. Este filme ainda não é o melhor do mundo nem de Angola, mas vai revolucionar o cinema nacional”, asseverou ainda.

Ainda enquanto falava à imprensa, Hochi-Fu, aconselhou os realizadores e criadores a estarem mais atentos aos fenómenos sociais, a investir na criatividade e a garantirem mais espaço e oportunidade aos novos talentos.