"Desta vez posso ficar presa durante uma noite. Grande coisa!" - ironizou a atriz ao falar com os jornalistas, recordando que não é sua primeira detenção.

Ao lado de várias dezenas de ativistas, incluindo as atrizes Rosanna Arquette e Catherine Keener, Fonda sentou-se para cantar no chão de um prédio do Senado onde não são permitidas manifestações.

Ativista, pacifista e feminista desde a década de 1970, Fonda, que com quase 82 anos ainda trabalha a tempo inteiro, disse que a adolescente sueca e defensora do clima Greta Thunberg a cativou.

"Há muitas formas de lutar, mas estou inspirada pela Greta Thunberg e pelos jovens estudantes grevistas em todo o mundo", disse.

"Sou uma celebridade. Esta é uma forma de usar o meu reconhecimento e para transmitir a mensagem de que enfrentamos uma crise que pode determinar se os nossos filhos e netos têm um futuro ou se o planeta será inabitável", acrescentou.

"É urgente agir", disse Fonda. "Temos onze anos para encontrar o caminho de volta; teremos que ser muito corajosos, muito unidos e decididos", disse a atriz em referência aos relatórios científicos sobre a necessidade de fortes reduções das emissões de carbono antes de 2030.

"Podem chamar-me radical, mas ser radical é não fazer nada", sublinhou.

Fonda deverá passar a noite na prisão e comparecer diante de um juiz no sábado.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.