Jon Favreau optou por reagir com diplomacia às recentes críticas de Martin Scorsese e Francis Ford Coppola aos filmes da Marvel, ao contrário de vários fãs, que mostraram desprezo pelas opiniões e estatuto dos realizadores de "O Touro Enraivecido" e "O Padrinho".

Há poucas semanas, Scorsese comparou os filmes a "parques de diversão", dizendo que "não eram cinema". Mais tarde, Coppola disse que o colega e amigo tinha sido "bondoso" nos comentários porque os filmes eram, na verdade, "desprezíveis".

Ambos têm o direito a criticar a Marvel, explicou Jon Favreau, que realizou "Homem de Ferro", o primeiro título do Universo Cinematográfico Marvel em 2008, e se mantém à frente das câmaras como Happy Hogan.

"Esses dois são meus heróis e conquistaram o direito de expressar as suas opiniões", explicou numa entrevista à CNBC.

"Não estaria a fazer o que faço se eles não tivessem forjado o caminho. Serviram como fonte de inspiração, desde os tempos de 'Swingers'. Podem exprimir qualquer opinião que queiram", reforçou, numa referência ao filme de Doug Liman que escreveu e onde apareceu como ator com Vince Vaughn em 1996.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.