Keanu Reeves pagou bem cara a decisão de recusar a sequela de "Speed - Perigo a Alta Velocidade", o filme de 1994 que o tornou uma estrela de cinema.

Segundo o ator, o estúdio Fox baniu-o, não o convidando para qualquer projeto durante mais de dez anos, mesmo depois de se tornar uma mega estrela com "Matrix" (1999).

"Não trabalhei com a [Fox] outra vez até 'O Dia em que a Terra Parou' [2008]", contou pela primeira vez numa entrevista à revista GQ.

Realizado por Jan de Bont, "Speed" estreou em junho de 1994 e foi um gigantesco sucesso.

Keanu Reeves era um polícia de Los Angeles que tentava salvar as vidas dos passageiros de um autocarro, conduzido por Sandra Bullock, armadilhado para explodir se a velocidade descesse abaixo das 50 milhas por hora [80 quilómetros].

A 20th Century Fox avançou rapidamente com os planos para uma sequela com o mesmo realizador e atores que transferia a ação para um navio cruzeiro.

Só que, para choque do estúdio e de Hollywood, o protagonista principal recusou regressar para o "sucesso garantido", como se falava do projeto na altura, sendo substituído por Jason Patric com uma nova personagem.

Numa entrevista a Jimmy Kimmel em 2015, Keanu Reeves recordou que achou argumento péssimo.

O ator tinha razão: "Speed 2: Perigo a Bordo" estreou no verão de 1997 e foi um fracasso, tanto de público como artístico. E todos os envolvidos, incluindo Jason Patric, acabaram por reconhecer que quem teve razão foi Keanu Reeves.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.