A saúde de Keira Knightley foi afetada por por causa das perseguições dos paparazzi.

A atriz tornou-se uma sensação com apenas 17 anos graças ao filme "Joga Como Beckham" em 2002 e logo a seguir envolveu-se nos sucessos gigantescos de "Piratas das Caraíbas" e "O Amor Acontece".

Mas alguns anos mais tarde, segundo revelou ao podcast do The Hollywood Reporter, foi diagnosticada com perturbação pós-stress traumático. Tinha 22 anos.

"Ser seguida por cerca de 20 tipos que na verdade são profundamente misóginos, foi um entrada muito rude para o mundo da misoginia. Foi literalmente ter homens a gritar-me, a chamar-me prostituta", recordou.

"Tive um esgotamento mental aos 22 anos. Tirei um ano e fui diagnosticada com perturbação pós-stress traumático por causa de tudo isso", acrescentou.

Segundo a atriz, isto aconteceu na mesma altura em que as artistas Amy Winehouse e Britney Spears estavam a ter grandes problemas em público ou seja, por volta de 2007.

Uma época em que "conseguir fotografias de mulheres a virem abaixo" por causa da pressão rendia muito dinheiro e se isso não estivesse a acontecer à frente dos paparazzi, ainda valia a pena provocá-las.

"Havia muito dinheiro para conseguir que o teu namorado ou pai magoassem fisicamente [os paparazzi] por coisas que diziam sobre ti. E havia muito dinheiro por causa dos processos judiciais. Portanto, subitamente existia um nível de violência, que se sentia no ar, que não é uma coisa a que qualquer pessoa vá reagir bem", explicou.

Agora com 33 anos, Keira Knightley explicou que acabou por lidar com a situação graças a terapia e após o ano em que esteve afastada, optou por afastar-se dos filmes de grande orçamento.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.