Num fim de semana morno nas bilheteiras americanas, "Midway" surpreendeu e chegou ao primeiro lugar.

Os analistas previam 12 a 14 milhões de dólares, mas o épico da Segunda Guerra Mundial de Roland Emmerich ("O Dia da Independência"), também já nas salas portuguesas, superou as más críticas e essas previsões, arrecadando 17,5 milhões [cerca de 15,86 milhões de euros].

Em segundo lugar ficou o filme de terror "Doutor Sono", que estreou nos EUA uma semana depois de Portugal, com resultados que as análises colocam já entre as grandes desilusões de 2019: as previsões de uma abertura de 30 milhões de dólares revelaram-se otimistas porque a sequela oficial de "Shining" só conseguiu 14,1 milhões.

O escritor Stephen King, que famosamente detesta a adaptação de Stanley Kubrick e elogiou bastante o novo filme, já reconheceu que os números são maus: "Escrevo principalmente livros e espero que corra bem. Tirando os números de bilheteira, o filme de Mike Flanagan é excelente. Se as pessoas escolhem não ir, é a sua opção, mas quando algo é bom, eu festejo".

Nas bilheteiras ficaram a seguir dois filmes com estreias de pouco impacto: a comédia com John Cena "Quem Brinca Com o Fogo..." (também já em Portugal) e a comédia romântica baseada na canção de George Michael "Last Christmas" (estreia prevista por cá para 5 de dezembro), respetivamente com 12,8 e 11,6 milhões.

Em quinto encontra-se "Exterminador Implacável: Destino Sombrio" e o título a corresponde à previsão sobre o futuro da saga: 10,8 milhões este fim de semana e 48,4 milhões no total, mas com a consolação de estar a chegar aos 200 milhões nas reveitas mundiais. Ainda assim, não o suficiente para chegar ao lucro e justificar outra sequela.

Em sexto, resiste "Joker", com mais 9,2 milhões e 313,5 nos EUA após seis semanas: confirmando o o impacto de uma das apostas mais arriscadas de Hollywood em 2019, também chegará aos mil milhões de dólares a nível mundial esta semana, algo nunca visto num filme classificado para adultos e que raramente acontece sem estrear na China.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.