O ator, realizador, argumentista e produtor Carl Reiner morreu na segunda-feira à noite, aos 98 anos, de causas naturais.

A notícia foi confirmada pela sua assistente à publicação Variety.

Também conhecido como o pai do ator e realizador Rob Rainer, era um dos pilares da comédia no cinema e televisão americanas, ao lado dos amigos e colegas Mel Brooks e Dick Van Dyke.

Após começar a trabalhar como ator e argumentista em televisão na década de 1950, o momento decisivo e pelo qual é mais recordado é a criação da série "The Dick Van Dyke Show" (1961-1966), com Dick Van Dyke e Mary Tyler Moore, que lhe valeu cinco dos nove prémios Emmy da carreira (os "Óscares da TV") e semanalmente abordava com humor temas que até então pouco entravam nas casas norte-americanas.

No cinema, escreveu e realizou filmes incontornáveis, como "Where's Poppa?" (1970), "Alguém Lá em Cima Gosta de Mim" (1977), "O Tonto" (1979), "O Homem dos Dois Cérebros" (1983) e "Almas do Outro Mundo" (1984), vários protagonizados por Steve Martin.

Com exceção de "Vêm aí os Russos, Vêm aí os Russos" (1966), o impacto como ator foi menor porque os papéis eram muito secundários, mas isso mudou com a mais recente trilogia "Ocean's Eleven" (2001-2007), que o tornou conhecido a uma nova geração de espectadores: ele era Saul Bloom, o vigarista reformado mas com uma experiência que dava sempre muito jeito à equipa liderada por Danny Ocean (George Clooney) para interpretar várias "personagens" ao longo da execução dos assaltos.

Para lá dos 80 anos, continuou a aparecer em séries como "Dois Homens e Meio" e "Póquer de Rainhas". A sua voz também apareceu em episódios de "Family Guy", "American Dad", "King of the Hill" e "Bob’s Burgers".

Até ao fim da vida, Carl Reiner continuava a ser convidado para televisão e percorreu o pais com espetáculos onde falava da sua carreira.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.