O público pode estar a dar sinais de estar fatigado com as sequelas, como indica o balanço do verão das bilheteiras, mas pelo menos para um estúdio em Hollywood a receita para os próximos anos é óbvia.

Numa conferência da Merrill Lynch Media em Beverly Hills, o presidente da Universal Steve Burke deixou muito claro qual pensa ser a orientação mais importante de um estúdio.

"Quando se olha para o negócio do cinema, deve-se estar nas grandes sagas, sequelas e animação. Sendo a animação o melhor de tudo, como nos mostrou este ano", numa referência ao sucesso a nível mundial de "A Vida Secreta dos Nossos Bichos" (em Portugal ultrapassou já os 522 mil espectadores)... e esquecendo o fracasso da sequela "O Caçador e a Rainha do Gelo".

Determinante para concretizar essa filosofia terá sido o negócio recente em que a Universal comprou o estúdio DreamWorks Animation, que desenvolveu as sagas "Shrek" e "Como Treinares o Teu Dragão".

"Eles fazem os melhores filmes de animação. Não vou mentir, pagámos muito dinheiro, mas existem sinergias extraordinárias", referiu o mesmo responsável, já a pensar nos muito lucrativos parques temáticos.

Para os próximos anos, a Universal tem a agenda duas sequelas de "As Cinquenta Sombras de Grey" e "Mundo Jurássico" e três "Velocidade Furiosa".

Previstas estão ainda mais continuações de "Gru-O Maldisposto", "A Vida Secreta dos Nossos Bichos", "Os Croods", "Um Ritmo Perfeito" e "Batalha do Pacífico".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.