«O Filho de Deus» foi criado a partir da série televisiva de 10 horas «A Bíblia», exibida no ano passado nos EUA no Canal História, que traduz em imagens o Antigo e o Novo Testamento.

A longa-metragem, produzida por Roma Downey e Mark Burnett, terá o ator português
Diogo Morgado como protagonista total, uma vez que o filme, construído com imagens retiradas da série televisiva e cenas que foram deixadas de fora, se focará apenas na vida de Jesus Cristo.

A série de televisão, com dez horas de duração e que foi exibida em Portugal na SIC, somou cerca de 15 milhões de espetadores por cada episódio e foi nomeada para os prémios Emmy. Para os produtores Mark Burnett e Roma Downey, esta é uma nova oportunidade de contar a «história de Jesus para toda uma nova geração».

No ano passado, quando a série televisiva estreou, em entrevista à agência Lusa, Diogo Morgado atribuiu parte do sucesso da série à forma «tangível e real» como o programa contou as histórias bíblicas, apelando «muito às pessoas».

A interpretação do papel de Jesus valeu-lhe a alcunha «Hot Jesus», propagada nas redes sociais, mas Diogo Morgado não quer que esse elogio à aparência física ofusque a história de Cristo e a mensagem «de amor, esperança e compaixão», afirmou em declarações este mês ao «New York Times».

Diogo Morgado, de 34 anos, é o mais recente rosto de Jesus Cristo no cinema, juntando-se a uma galeria de atores - como
Max von Sydow,
Jeffrey Hunter, Ted Neeley e
Jim Caviezel - que já interpretaram o mesmo papel.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.