Quentin Tarantino sabe bem que os seus filmes são recebidos com controvérsia, logo desde o primeiro, "Cães Danados", em 1992. O recente "Os Oito Odiados", pr exemplo, foi alvo de muitas críticas pelo (mau) tratamento que o argumento dava à personagem interpretada por Jennifer Jason Leigh.

No entanto, o seu nome está agora associado a um projeto alvo de comentários contundentes ainda antes das câmaras começarem a trabalhar.

Tarantino será o produtor de um misterioso projeto, um western, que começa a ser rodado no final de junho em Los Angeles, mas a polémica estalou com um anúncio de casting.

Um post no Facebook de uma agência de Los Angeles começava nestes termos: "A selecionar prostitutas para projeto de Quentin Tarantino".

Todas as candidatas deviam ser brancas, magras, entre 18 e 35 anos,  serem "naturais" (seios, cabelo) e não pertencer a sindicatos. Podiam enviar as suas fotografias e medidas por email, colocando no assunto simplesmente "prostituta".

O anúncio foi entretanto removido, mas não antes de ser apanhado por vários meios, incluindo o site Women and Hollywood, que contactou mais tarde a agência, que já terá tido problemas anteriormente com textos semelhantes.

A agência garantiu que Tarantino não será o realizador e que o controverso termo foi retirado diretamente do argumento, que foi escrito e será levado ao cinema por uma mulher.

A responsável do site comentou que "não está certo colocar um anúncio para ou incluir mulheres no seu argumento com a descrição de 'prostitutas'. Nem pedir a atrizes que enviem as suas fotografias e informações à consideração com o assunto 'Prostituta'. Para além de existirem termos melhores para usar quando se pretende selecionar mulheres que trabalham na indústria do sexo, esta descrição é na verdade um exemplo típico do sexismo em Hollywood, em particular no que se refere aos papéis para mulheres."

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.