John Rambo vai regressar ao cinema e literalmente com 'novo sangue': Hollywood vai mesmo para a frente com o anunciado projeto "Rambo: New Blood".

A intenção do estúdio é reiniciar a saga de ação sem Sylvester Stallone, substituindo-o por um ator mais jovem, seguindo o mesmo princípio de James Bond: o veterano da Guerra do Vietname transformado em máquina de morte, provavelmente modernizado para um conflito mais recente, poderá vir a ser interpretado por várias estrelas por muitos e bons anos.

O novo filme será realizado pelo israelita Aril Vromen, que os espectadores em Portugal conhecem principalmente por "Criminoso" (2016), um 'thriller' de ação que contava a história de um operacional da CIA morto (Ryan Reynolds) cujas memórias, segredos e competências eram implantadas num imprevisível e perigoso psicopata condenado (Kevin Costner), para tentar travar um plano diabólico.

O primeiro filme, "First Blood / A Fúria do Herói" (1982), baseava-se num livro de  David Morrell e tornou-se um surpreendente sucesso de bilheteira que ajudou a definir os anos 1980.

Surgiram rapidamente duas sequelas: com "Rambo II - A Vingança do Herói" (1985), a personagem regressava ao Vietname para salvar veteranos e deixar um rasto de sangue de vingança, enquanto em "Rambo III" (1988) ia salvar o antigo comandante e acabava a ajudar o povo do Afeganistão na resistência contra a ocupação das forças da União Soviética.

A desilusão comercial do terceiro filme fez Stallone reformar a personagem até ao muito elogiado "John Rambo" (2008), onde o guerreiro envelhecido e retirado na Tailândia usava as suas ainda letais competências para salvar trabalhadores de ajuda humanitária na Birmânia (Myanmar).

Um quinto filme estava em preparação antes do ator anunciar a sua retirada da personagem.

Planos para uma série de televisão também parecem ter ficado sem efeito: a prioridade é o regresso ao cinema.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.