Desde a origem dos seus famosas diálogos à sua cinefilia insaciável, o cineasta Martin Scorsese encantou o público nesta quarta-feira durante uma conversa à margem do Festival de Cannes, onde foi homenageado pela sua trajetória.

"You talkin' to me?" em "Taxi Driver" (1976)  foi "uma feliz coincidência", revelou o lendário realizador, que costuma ter em mente a montagem dos seus filmes antes da rodagem para ganhar tempo.

Aquela resposta não estava prevista mas "integrava-se totalmente no filme", assim como "You think I'm funny?", pronunciada por Joe Pesci em "Tudo Bons Rapazes" (1990), antes de partir um copo na cabeça de um colega.

"Introduzimos este diálogo" porque o ator pediu, explicou o cineasta, de 75 anos, que foi aplaudido pelo público.

O realizador de "The Departed: Entre Inimigos" e, mais recentemente, de "O Lobo de Wall Street" e "Silêncio", recebeu a "Carruagem de Ouro" pela sua contribuição à Sétima Arte, uma distinção concedida no âmbito da Quinzena dos Realizadores.

Durante a conversa, Scorsese também abordou a sua voraz cinefilia e paixão pela música.

Quando era criança, tinha asma e teve que passar muito tempo em casa. Aos poucos foi se tornando um autêntico cinéfilo, recordou, descrevendo que para ele o cinema é uma "experiência espiritual da ordem da catarse".

"Enquanto estivermos vivos, por que se privar dele?", assegurou, enquanto ia citando várias referências ao longo da sua intervenção, de Jean Renoir a John Ford, passando por Elia Kazan.

Foi precisamente na Quinzena dos Realizadores, uma secção paralela do Festival de Cannes, que Scorsese foi descoberto, em 1974, com seu filme "Os Cavaleiros do Asfalto", com Harvey Keitel e Robert de Niro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.