Quando começou finalmente a entrar nos grandes filmes de Hollywood,  como "Star Trek" e "Missão: Impossível", Simon Pegg já era um dos talentos mais predominantes da comédia britânica graças à serie "Spaced" e aos filmes "Zombies Party - Uma Noite... de Morte" e "Hot Fuzz - Esquadrão de Província".

Durante uma conferência esta terça-feira em Londres em que falou do processo criativo da produtora que formou com Nick Frost, o seu cúmplice nesses trabalhos, o ator deixou um lamento: "infelizmente, os filmes nas salas de cinema parecem estar a morrer".

Citado pelo The Hollywood Reporter, Simon Pegg confirmou que a televisão já não é o "primo pobre" do cinema e tornou-se um campo criativo "realmente fértil" que proporciona experiências "emocionantes e cinematográficas".

Acrescentando que enquanto os grandes estúdios muitas vezes dependem dos filmes de grande orçamento de super-heróis para terem sucesso, a televisão vive uma era emocionante de "explosão criativa" em que "tudo parece possível".

"O que costumava ser este pequeno primo pobre do auspicioso grande ecrã está agora a dominá-lo e oferece muito mais", defendeu.

Apesar de ser um grandes nomes mais respeitados da cultura popular, Simon Pegg deixou uma crítica velada ao dominador cinema de super-heróis: "muitos dos supostamente atores de cinema estão agora a migrar de volta para a televisão porque é onde todo o trabalho de representação está a acontecer – no cinema é apenas sobre andar a voar em fatos justos".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.