Depois do primeiro filme, que mais tarde recebeu um novo título, "Star Wars Episódio IV: Uma Nova Esperança", foram produzidas 10 prequelas, sequelas e spinoffs, incluindo "A Ascensão de Skywalker", chega esta semana aos cinemas e conclui a saga Skywalker.

A força esteve com eles durante 42 anos: as estrelas veteranas de Star Wars reúnem-se para o fim da lendária história criada por George Lucas em 1977, com a inesperada e comovente presença da princesa Leia.

O fim da saga Skywalker

Embora outros filmes da saga "Star Wars" estejam planeados, "A Ascensão de Skywalker", que estreia esta semana em todo o mundo, esta quinta-feira em Portugal, será uma espécie de despedida para toda uma geração. E para Anthony Daniels, que interpretou o droide C3PO desde o início, e Billy Dee Williams, que interpreta Lando Calrissian, este nono e último episódio da saga Skywalker é uma espécie de canto do cisne.

E também é o último filme de Carrie Fisher - que faleceu aos 60 anos no fim de 2016 - no papel que a lançou para a fama: o da aguerrida princesa Leia Organa.

Graças a um inovador reaproveitamento de cenas filmadas para as longas-metragens anteriores da mais recente trilogia, Fisher permanece no centro da produção, três anos após sua morte.

"A ideia de continuar a história sem Leia não era uma possibilidade e não havia como fazer uma Leia digital", disse o realizador JJ Abrams numa conferência de imprensa em Los Angeles.

"E não era possível, claro, que outra atriz a interpretasse", acrescentou.

A jovem princesa idealista do início da saga é agora uma general de grande reputação, que inspira uma nova geração de membros da Resistência como Rey (Daisy Ridley) a enfrentar o Lado Negro da Força, liderado pelo filho de Leia, o sinistro Kylo Ren (Adam Driver).

Para o filme, os outros atores, incluindo a filha da atriz Billie Lourd, filmaram cenas e diálogos que puderam ser combinados com as cenas já gravadas por Fisher e que foram conservadas nos arquivos.

"Carrie teve um papel fundamental nos nove filmes", disse Kelly Marie Tran, de 30 anos, que interpreta a mecânica da Resistência Rose Tico. "Havia muita vontade de a honrar e ela está incrível no filme!", disse.

Fisher não foi o único membro do elenco original da primeira trilogia de "Star Wars" que morreu antes de  "A Ascensão de Skywalker".

Peter Mayhew, o Chewbacca original, faleceu após um ataque cardíaco em abril. Mas pelo seu estado de saúde frágil, o ator já tinha passado o bastão da personagem para Joonas Suotamo, um finlandês de 2,12 metros de altura, desde "O Despertar da Força" em 2015.

"Quando o Peter morreu, eu fiquei de coração partido. Mas gosto de pensar que neste filme tentei fazer-lhe justiça", declarou Suotamo, que atribui a Mayhew o andar particular de "Chewie", reconhecido em todo o mundo.

"Mesmo que as pessoas não visto os filmes 'Star Wars', elas sabem quem é Chewbacca. E é disto que sou o guardião", disse.

Para Billy Dee Williams, voltar ao papel de Lando foi quase como assumir uma nova personagem, o que ele não esperava, 36 anos depois de "O Regresso de Jedi".

"Não pensei que aconteceria. Era algo que já dava por encerrado", disse. "Mas quando recebi a ligação de JJ e nos reunimos, eu sentei e ri... foi um presente maravilhoso", acrescentou.

Do mesmo modo, Anthony Daniels, que interpretou o droide C3PO em todos os filmes da saga, disse que a perda dos amigos de elenco e o fim dos filmes permitiram uma pausa para refletir sobre a escala do fenómeno.

"É como ter o nariz encostado ao planeta, não dá para ver como este planeta é grande", disse. "Agora, eu vejo tudo quase de outra perspectiva... fico feliz por ter sobrevivido por tanto tempo", acrescentou o ator.

"A Ascensão de Skywalker" aposta na nostalgia e nos episódios anteriores. JJ Abrams admitiu que nenhuma solução foi perfeita para compensar a ausência de Carrie Fisher, mas afirmou que ficou satisfeito com o resultado.

"Se tivéssemos a Carrie por perto, teríamos feito coisas diferentes aqui e ali? Claro que teríamos. Mas tivemos a oportunidade de ter Carrie no filme", disse.

"Conseguimos fazer algo com que a Carrie, eu gosto de pensar, ficaria feliz", concluiu.

Veja a lista com a receita de bilheteira de de cada filme do universo "Star Wars" (valores não corrigidos pela inflação):

Episódio VII - O Despertar da Força (2015) - 2,070 mil milhões de dólares

Episódio VIII - Os Últimos Jedi (2017) - 1,33 mil milhões de dólares

Rogue One: Uma História de Star Wars (2016) - 1,06 mil milhões de dólares

Episódio I - A Ameaça Fantasma (1999)- 1,03 mil milhões de dólares

Episódio III - A Vingança dos Sith (2005) - 850 milhões de dólares

Episódio IV - Uma Nova Esperança (1977) - 775.5 milhões de dólares

Episódio II - O Ataque dos Clones (2002) - 649.4 milhões de dólares

Episódio V - O Império Contra-Ataca (1980) - 547.9 milhões de dólares

Episódio VI - O Regresso de Jedi (1983) - 475.3 milhões de dólares

Han Solo: Uma História de Star Wars (2018) - 392,9 milhões de dólares

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.