Só conseguiram entrar na primeira fase de "Star Wars: Galaxy’s Edge", um mergulho no universo intergaláctico de George Lucas, que custou mil milhões de dólares, aqueles que fizeram reservas com meses de antecedência.

A visita à nova área do Disneyland Park, na Disneyland original da Califórnia, está limitada a quatro horas e exige reserva. Os Stormtroopers controlam o tempo.

"Galaxy's Edge é absolutamente maravilhoso e estamos emocionados por finalmente podermos partilhá-lo com o mundo", disse Bob Iger, CEO da The Walt Disney Company, durante uma cerimónia na quarta-feira, ao lado de Lucas, de Harrison Ford, Han Solo na saga, e de Mark Hamill, Luke Skywalker.

"Pela primeira vez, os fãs poderão mergulhar nas histórias icónicas que cativaram a imaginação do público por décadas e viver as suas próprias aventuras de Star Wars no lugar mais criativo, inovador e ambicioso que já construímos", acrescentou.

Nesta primeira de duas aberturas - a segunda acontece no Walt Disney World, na Flórida, a 29 de agosto -, os convidados são "transportados" ao remoto planeta Batuu, onde poderão viajar na nave mais famosa de toda a galáxia, a Millennium Falcon, assim como provar comidas e bebidas espaciais, como o leite azul, e mais terrenos na taverna de Oga ao preço de 13 dólares por meio litro. É a primeira vez na sua história que a Disneyland vende álcool.

"Estamos à espera de encontrar tudo o que é referente a 'Star Wars'. Os extraterrestres, as diferentes espécies, os Stormtroopers, tudo. Estamos à espera de ver tudo", disse à AFP Stephanie Kaniwa, que chegou cedo para aproveitar o novo parque.

Um sonho tornado realidade

Até Harrison Ford apareceu: Disneyland junta lendas para a inauguração do novo parque
George Lucas, Billy Dee Williams, Mark Hamill, Bob Iger e Harrison Ford na inauguração

Segundo a Disney, os usuários poderão unir-se à Resistência ou à Primeira Ordem, e ver de perto personagens como Rey, Finn, BB-8 e Chewie.

Miguel Langarica lembrou como foi difícil conseguir os bilhetes para o dia da abertura.

"Foi muito difícil, muito duro, ficava com quatro computadores abertos ao mesmo tempo, a tentar conseguir reservas, finalmente consegui e estou muito emocionado por assistir a isto", disse à AFP nos arredores do parque situado em Anaheim, perto de Los Angeles.

Joe Kaniwa, outro visitante, disse que não se importava de pagar os quase 150 dólares por adulto para desfrutar desta experiência.

"Eles querem ganhar muito dinheiro e estão a conseguir", disse. "Mas também querem fazer com que os sonhos das pessoas se tornem realidade".

"Há gente de todas as gerações, com 40, 50 anos, que estava à espera de algo assim há anos, e agora pode ser parte deste mundo", sublinhou.

Quem tiver dinheiro de sobra no fim do dia, pode investir 200 dólares (mais impostos) para fazer um sabre de luz no atelier de Savi ou 100 dólares por um dróide à la carte.

Ainda este ano, a Disney tem previsto abrir o restante do parque de 5,6 hectares, no qual os visitantes serão testemunhas de uma batalha entre a Primeira Ordem e a Resistência.

John Williams compôs alguns temas originais para a atração, que vão misturar-se com a tradicional banda sonora da saga.

A Disney comprou a Lucasfilm em 2012 por 4 mil milhões de dólares, mas a relação entre as duas empresas data de muito antes. A inovadora atração "Star Tours" abriu em 1987 na mesma Disneyland que agora inaugura a nova "land", o primeiro parque de diversões da companhia.

Mas com "Star Wars: Galaxy’s Edge" não há dúvida de que a Força será sentida com muito mais força.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.