Apesar das muitas especulações que existem à volta dos filmes "Star Wars", afinal as histórias pode estar todas refletidas nos respetivos cartazes, de acordo com uma análise avançada pelo Screen Rant.

Como sabem os fãs da saga, há muito que estão definidas as cores do lado bom e negro da Força: o azul associado aos Jedi e o vermelho dos Sith.

O cartaz do primeiro filme da nova trilogia, "O Despertar da Força" (2015), divide-se igualmente entre ambas.

Isto reflete o início de uma nova batalha entre os dois lados e as personagens que as representam, Rey (Daisy Ridley) e Kylo Ren (Adam Driver), além de apresentar as outras mais relevantes na sua órbita.

O cartaz também mostra outro pormenor que causou desgosto a vários fãs e ao próprio ator: note-se a ausência de Luke Skywalker (Mark Hamill), que seria confirmada pelo filme, onde a personagem surge nos últimos segundos.

Tudo muda radicalmente no cartaz da sequela, "Os Últimos Jedi" (2017), completamente dominado pelo vermelho, que reflete literalmente passagens do filme como a sala do trono do Líder Supremo Snoke (Andy Serkis), a sua Guarda Pretoriana ou a superfície do pequeno planeta remoto Crait, que serve de posto para os rebeldes.

Mas a utilização da cor também tem um significado simbólico: o triunfo esmagador na história das forças da Primeira Ordem, o massacre das forças da resistência e a ascensão de Kylo Ren, bem como o sacrifício de uma emblemática personagem.

Tudo muda no recente cartaz do inédito "A Ascensão de Skywalker", em que se destaca uma nova luta entre Rey e Kylo Ren e o domínio quase avassalador da cor azul, o que, segundo o Screen Rant, revela quem ganhará a batalha final entre o Bem e o Mal.

Outra pista para o desfecho pode estar no facto de que os todos os cartazes têm em comum a presença dominadora de personagens parcialmente encobertas e as duas primeiras acabaram derrotadas nos respetivos filmes: Kylo Ren e Luke Skywalker.

Se a tendência se mantiver, esse será o fim que espera a que surge no cartaz de "A Ascensão de Skywalker": o imperador Palpatine (Ian McDiarmid), que se pensava ter morrido no final de "O Regresso de Jedi" (1983).

Realizado por J.J. Abrams e com Daisy Ridley, John Boyega, Oscar Isaac, Anthony Daniels, Naomi Ackie, Keri Russel, Joonas Suotamo, Kelly Marie Tran, Billy Dee Williams, Mark Hamill e Carrie Fisher, "Star Wars: A Ascensão de Skywalker" chega aos cinemas a 19 de dezembro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.