Não é difícil imaginar as estrelas ou as equipas que gerem as suas carreiras a vasculharem freneticamente o que foi colocado online depois da Disney ter decidido despedir James Gunn, realizador da saga "Guardiões da Galáxia", por causa de mensagens antigas controversas que publicou nas redes sociais.

Criado o primeiro precedente a sério, muitos em Hollywood estão da defensiva. E perante este novo panorama, Rian Johnson não foi de modas e apagou todos as suas mensagens anteriores a 25 de janeiro.

O realizador de "Star Wars: Os Últimos Jedi" é extremamente ativo nas redes sociais, interagindo com fãs e colegas. Isso manteve-se mesmo no período mais controverso após a estreia do Episódio VIII, que dividiu os fãs da saga, principalmente pela forma como foi representado Luke Skywalker.

A ação preventiva removeu 20 mil "tweets", ficando cerca de 1300.

Perante a especulação, nomeadamente se existia uma ordem dos estúdios para a limpeza, o próprio Rian Johnson veio explicar o que aconteceu e esclarecer que nem foi uma questão de ter "esqueletos no armário" como os que levaram à queda de James Gunn.

"Não existe uma diretiva oficial de todo e acho que nunca escrevi algo assim tão mau. Mas são nove anos de coisas escritas de forma espontânea como efémeras, se a regra agora é os 'trolls' as escrutinarem para arranjarem munição [para atacar], isto parece uma atitude "por que não"?

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.