[AVISO DE SPOILER PARA QUEM NÃO VIU O FILME "VINGADORES: ENDGAME"]

Robert Downey Jr. disse que era inevitável chegar ao fim a sua jornada e a de Chris Evans como Homem de Ferro e Capitão América no Universo Cinematográfico Marvel.

Os dois atores colocaram fim ao percurso de uma década com a "Vingadores: Endgame", o filme que mais dinheiro arrecadou nas bilheteiras de todo o mundo.

"Tínhamos de sair. Foi a nossa opção e sabíamos que fazia parte do trabalho sair do autocarro enquanto ele seguia para outros destinos. Há algo de muito ponderado nisso. Estou contente porque tanto ele como eu estaremos aqui para receber outros quando terminarem os seus percursos", revelou ao número do outono da revista de fãs da Disney "twenty-three" [23].

No filme, o Homem de Ferro sacrifica-se na batalha final contra Thanos e o Capitão América regressa ao seu tempo histórico (a década de 1940) para viver ao lado de Peggy Carter antes de surgir no presente, já centenário, para passar o seu escudo ao Falcão (Anthony Mackie).

Downey Jr. tornou-se oficialmente uma "lenda Disney" durante a convenção oficial do estúdio, conhecida por D23, que se realizou entre 23 e 25 de agosto na Califórnia.

À mesma revista, acrescentou que "detestava" ter de falar sobre o seu "legado" e impacto, destacando a dimensão do que fizeram Chris Evans e Mark Ruffalo (Hulk).

"Nem preciso de olhar para lá dos meus colegas. O Mark Ruffalo é um ativista, o Chris Evans é um grande patriota e um grande defensor da democracia a sério. Não tenho o espírito de iniciativa, a capacidade, a ambição ou a humildade para fazer o que eles fazem", concluiu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.