Trata-se de Dom Caetano, Baló Januário e Calabeto, que assumiram o canto dos grupos carnavalescos União Recreativo Kilamba, detentor do título da classe A, União Njinga a Mbande e União 10 de Dezembro.

Dom Caetano, que se notabilizou na década de 80 pelo agrupamento Jovens do Prenda, esteve em evidência no Carnaval de 2018 quando cantou para o mesmo grupo.

Desta vez, o sembista teve a missão de interpretar Muangola Mukulu (Angola Ancestral), tema original e composto por Dom Caetano e União Recreativo Kilamba, que fala sobre a história do nascimento de Angola em todas as suas vertentes.

Trata-se de um tema concebido na base rítmica do semba.

Já Baló Januário, com o tema Corredor do Kwanza, dá voz, mais uma vez, à canção do União Njinga a Mbande, grupo com o qual já trabalha há mais de três anos.

Trabalhada a base rítmica do cabecinha, Baló Januário traz a público uma mensagem sobre a importância da valorização do Corredor do Kwanza, fruto da pretensão do Ministério da Cultura em inscreve-lo na lista do património mundial da UNESCO.

Calabeto, uma das principais referências da música angolana, aparece, este ano, como suporte musical do União 10 de Dezembro.

Compositor e interprete com créditos reconhecidos no mercado angolano, Calabeto da voz ao tema Monami, que em português significa Meu/Minha Filho/a trabalhada a base do semba.

Trata-se de um apelo aos pais e encarregados de educação que acabam por se imiscuir nos problemas de crianças, apelando ainda para ponderação e imparcialidade na resolução de conflitos envolvendo menores de idade.

O Carnaval de Luanda, cujos desfiles acontecem nos dias 2, 3 e 5 de Março, contará com a participação de 43 grupos, sendo 18 da classe A, 10 da B, ambos de adultos, e 15 de infantis.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.