A falta de apoios e de material levaram os grupos, de adultos, a desisistr do desfile.

Dos grupos inscritos, segundo o chefe do departamento provincial da cultura, artes e património histórico do sector da cultura, turismo e juventude e desportos na Huíla, Bernardino Hafeni, 18 são do Lubango.

Estão igualmente inscritos 20 blocos de animação, mais quatro que na edição anterior.

O responsável informou que cinco dias antes do desfile será feito o assalto nas ruas das cidades e vilas, onde os grupos vão apresentar as suas danças típicas tradicionais, como forma de valorizar os traços culturais e etnolinguísticos do país.

A Comissão Provincial do Carnaval (CPC) recepcionou “apenas” três milhões de Kwanzas, mais 500 mil em relação ao igual período de 2018.

Bernardino Hafeni adiantou que o valor não cobre as necessidades dos grupos inscritos, em relação ao pagamento dos prémios para os três primeiros classificados de cada classe.

Para cobrir as necessidades, a organização necessita de, pelo menos, 15 milhões de Kwanzas.

O grupo carnavalesco Ouro Negro da Tundavala venceu, em 2018, pela quinta vez consecutiva, o Carnaval municipal do Lubango, que faz a vez do provincial há quatro anos.

Já na classe de infantis arrebatou o prémio o grupo carnavalesco Muilas da escola 1º de Dezembro, com 282 pontos.

A Huíla não realiza o desfile provincial há quatro anos, por dificuldades orçamentais.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.