O responsável afirmou a Angop que contactos foram feitos junto do Ministério da Cultura e do governo da provincia, com vista a disponibilidade de meios financeiros e materiais para apoiar os grupos, mas até ao momento aguarda-se por resposta.

Aurélio Ngulawa disse ainda da parte do governo do Namibe foi dada a garantia de um subsídio de 200 mil kwanzas para cada grupos da classe de adultos e 100 mil kwanzas para infantil.

"Por falta  de meios financeiros, os grupos carnavalescos na provincia do Namibe vão apenas fazer o Carnaval de Rua, com a demonstração dos seus rituais a partir das suas zonas de origem, culminando na pista da Marginal", sublinhou.

Segundo ele, na mraginal haverá uma feira onde estarão expostos artigos culturais dos povos da região sul do país como, batuque, marimba, vestes, sandálias e outros artigos que compõem toda a indumentária carnavalesca da cultura local.

Neste Carnaval de Rua participam os grupos Forte Santa Rita, Torre do Tombo, Espirito Santo, Saco-Mar, União Saidy Mingas, União Welwitchia, Rei Mandume, na classe de adultos.

Para a classe infantil estão inscritos três grupos: Escola Augusto Ngangula, Pioneiro Zeca e Mirins da Torre do Tombo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.