O responsável reiterou a intenção durante um almoço de confraternização entre os funcionários do sector que serviu para o balanço do carnaval2018, decorrido no complexo turístico e cultural denominado Casa da Cultura.

Embora reserve tal discussão para um anunciado conselho consultivo agendado para os próximos tempos, disse que, a nova entidade que passará a organizar o carnaval, terá de pôr em prática imediatamente tal plano, começando com ensaios trimestrais durante o ano de 2018.

Justificou que os ensaios trimestrais serão importantes para a futura entidade organizadora aferir e preparar com antecedência o entrudo, e interiorizar os grupos para a necessidade de se trabalhar mais para se mudar o actual paradigma de disputa e apresentação dos foliões.

Tony Nguxi considerou ser importante que se transfira a competência da organização das próximas edições do carnaval aos grupos ou aos fazedores da cultura na província, para dar mais liberdade e sentido cultural, ao contrário do actual molde organizado pela direcção que dirige.

Quanto ao almoço, referiu ser propício o momento para ajudar a reflectir o novo rumo que deve ser dado ao sector da cultura, como forma de reavivar a sociedade, fortalecer a angolanidade e manter bem patente os traços culturais que o une os angolanos.

Felicitou os trabalhadores do sector e os fazedores do carnaval que tornaram possível a realização exitosa de mais uma edição num contexto “económico particularmente complexo”.

O grupo carnavalesco Daniel Bernardo e Nelson Condes (DBNC) foi o vencedor na classe de adultos, com 796 pontos, seguido das Organizações Luvale e o Baffu Produções segunda e terceira posição, com 697 e 640 pontos, respectivamente.

Na classe infantil, o grupo Baffu Produções revalidou o título, com 645 pontos, enquanto os Brilhantes do Bairro Aço, 506 pontos e União 4 de Abril, 467 pontos ficaram em segundo e terceiro lugares.