Ela é carismática e muito querida pelos angolanos, por este motivo, a apresentadora e radialista Mara D`Alva foi a porta-bandeira do grupo carnavalesco de União Mundo da Ilha, que completou 50 anos de existência.

Incansável, Mara desfilou sorridente e com muita certeza dos passos de Semba, que dançou na companhia dos outros bailarinos, sendo que a interacção com o público cativou os presentes.

O grupo União Mundo da Ilha, que tem 13 títulos conquistados, pisou a Marginal de Luanda para desfilar ao som do Semba, dançando num ritmo mais acelerado, mas fiel ao seu gingar.

Euforia, cor e uma forte demonstração cultural do povo nascido na região que é a Ilha do Cabo, foi vista no desfile do União Mundo da Ilha no carnaval de 2018.

O peixe foi grelhado mesmo com carro alegórico em andamento, o delicioso mufete dos ilhéus que teve direito a feijão de óleo de palma, as bessanganas, o barco cheio de peixe fresco, que demonstrava uma pesca farta, deixou o público e espectadores mais perto dos hábitos e costumes dos moradores natos da Ilha do Cabo.

E, sobre cultura não é tudo, o estilo musical semba, foi o escolhido pela maioria dos grupos que desfilaram na Nova Marginal de Luanda, que homenageou o União Jovens da Cacimba, que abriu o desfile.

A festa cultural que levou à nova Marginal de Luanda o Presidente da Republica, João Lourenço foi interrompida pela forte chuva que caiu durante o grande momento.

Impedidos de desfilar estiveram os grupos União Njinga a Mbande, União Juventude do Kapalanga e União 54,  que vão fazer a continuação do desfile no próximo Sábado dia 17, pelas 10 horas, no mesmo local.

Ontem, desfilaram nove dos 12 grupos que iriam competir e estiveram presentes cinco grupos convidados das províncias de Benguela, Huambo, Cuanza Sul, Lunda Norte e Cabinda.