Em declarações à Angop, os turistas manifestaram satisfação por poder assistir um espectáculo deslumbrante, rodeado de muita cor, alegria e música alegre.

Segundo Marcelo Barros, português de nacionalidade, que assiste pela primeira vez o evento, o Carnaval está a superar as suas expectactivas a nível organizacional, com grupos a mostrarem coreografias lindas e danças típicas do povo angolano.

“Este Carnaval é totalmente diferente do vivido no meu país.Aqui é realizado num ambiente de muita festa, com muita cor, ritmo e folia, e num local exacto onde todos podem festejar, enquanto em Portugal é realizado em vários locais, sem ter a moldura humana que tem aqui”, explicou.

Por sua vez, o cubano Fernando Riosuco encontra semelhanças entre o Carnaval realizado na ilha cubana e o realizado em Angola, pela influência que o seu país teve ao longo dos tempos. Acrescentando que “a única grande diferença entre o Carnaval feito em Cuba e o de Luanda, é o facto das músicas lá não serem gravadas, mas tocadas com tambores feitos com pele de animais”.

Segundo Fernando Riosuco, os grupos infantis estão a surpreender pela positiva, pela forma “adulta”, séria e profissional que estão a se apresentar.

Para o angolano, natural do Cunene, Teodoro Costa, o Carnaval de Luanda é muito alegre e disputado, com muitos grupos que querem conquistar o primeiro lugar, já o do Cunene, pelo facto da região ser pequena, se apresentam poucos grupos e o despique é menor.

“Encontramos também algumas dificuldades próprias da região, como a falta de indumentária, falta de apoios dos mais velhos, para ajudarem as crianças a se desenvolverem, entre outras”, finalizou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.