O “segredo” foi revelado à Angop, pelo comandante do União Recreativo do Kilamba, Poly Rocha, momentos após o anúncio dos resultados dos vencedores do Carnaval de Luanda, tendo ainda apontado a preparação do grupo com vários meses de antecedência como outro dos trunfos para a vitória.

“O nosso grupo, geralmente, prepara o carnaval com muitos meses de antecedência, para que no dia do desfile saia tudo com foi programado. Mas o amor pelo Carnaval é a grande força motriz para vencermos o Entrudo”, ressaltou

Poly Rocha admitiu que o grupo passou por dificuldade financeiras para participar do Carnaval/2018 e apelou aos empresários no sentido de apoiarem mais as colectividades que participam do Entrudo, por ser a maior manifestação cultural do país.

Dedicou a vitória a todos aqueles, que desde a primeira hora, estiveram disponíveis e apoiaram o grupo União Recreativo do Kilamba, tanto financeira como moralmente.

Já o secretário-geral do grupo carnavalesco União Povo da Samba, vencedor da classe B, Bernardo José, considerou a subida à categoria A reflexo do esforço e dedicação da colectividade.

Segundo Bernardo José, apesar das dificuldades financeiras e faltas de apoios, o grupo manteve sempre a sua expectativa, daí o resultado positivo.

Fez saber que, para 2019, o grupo vai trabalhar no sentido de obter uma boa classificação e dignificar o distrito da Samba, tendo solicitado aos empresários locais apoio às agremiações da circunscrição.

Por seu turno, a responsável do grupo Cassules Jovens da Cacimba, vencedor da classe infantil, Madalena Andrade, frisou que a vitória vai trazer mais responsabilidade ao colectivo, que terá a missão de manter o título na próxima edição.

De acordo com Madalena Andrade, o grupo já começou a mobilizar novos integrantes para ingressarem na colectividade e manterem a tradição dos Cassules Jovens da Cacimba.

“O grupo Cassules Jovens da Cacimba vai se esforçar para manter identidade e o prestígio da colectividade, que já vem de longas gerações”, salientou.