Durante uma audiência que a ministra da Cultura, Carolina Cerqueira, concedeu ao embaixador germânico em Angola, Dirke Lolke, as duas entidades abordaram também a proposta de alargamento do programa de formação e de digitalização de peças que o Goethe Instituto realiza no Museu  Nacional de Antropologia, em colaboração com a Fundação do Património Prussiano, a ser reforçado com a assinatura de um memorando de entendimento entre as duas partes, que será rubricado em Dezembro deste ano, em Luanda.

A duas personalidades trocaram também pontos de vista sobre a importância do Museu de Humboldt que será inaugurado em Dezembro, do corrente, em Berlim, e que contará com amostras  de artefactos angolanos, representativos da vasta cultura de várias regiões do país  e que poderá constituir, segundo a governante, numa oportunidade para a internacionalização da cultura nacional.

A ministra reafirmou igualmente a importância do reforço do intercâmbio e de troca de experiência que servirá de base dos contactos dos técnicos do Ministério da Cultura que  seguirão para Alemanha, em Novembro deste ano, no sentido de identificarem com os congéneres alemães as áreas a serem priorizadas no futuro Plano de Acção sobre a cooperação conjunta dos dois países no domínio da Cultura e Artes.

Carolina Cerqueira apontou ainda como áreas de grande interesse a formação de jovens na arte cinematográfica, a realização da semana do cinema alemão em Angola e a diversificação das actividades culturais e artísticas em ambos os países.

Estas iniciativas conjuntas, ressaltou, devem envolver a diáspora, instituições culturais e associações da sociedade civil dos dois países.

A governante congratulou-se pela perspectiva da dinamização das relações culturais com a Alemanha, sublinhando que as mesmas devem acompanhar o ritmo das perspectivas de reforço das relações económicas anunciadas  aquando da visita do Presidente da República de Angola, João Lourenço, efectuou este ano aquele país europeu.

Enfatizou que a Cultura é uma ponte sólida, de extrema importância, para o incremento da relação de amizade, da cooperação e da mutualidade  entre os povos e nações.

Por sua vez, o embaixador alemão informou à ministra da Cultura que o Goethe Instituto terá como missão principal  consolidar as relações com Angola nos domínios  da Arqueologia e da Antropologia, com vista a ajudar a garantir a modernização da rede museológica nacional, a promoção da língua alemã e as trocas culturais em vários domínios.

A propósito da inauguração do Museu de Berlim, que contará com colecções e obras de países de todos os continentes, o diplomata manifestou interesse de poder contar com peças e documentários que reflictam a riqueza cultural de Angola, designadamente a arte rupestre do Tchitunduhulu, do Namibe, e da cidade de M’Banza Kongo, Património da Humanidade.

O embaixador aproveitou a ocasião para convidar a ministra da Cultura a visitar Alemanha, em 2019, para constatar o impacto da cultura naquele país europeu, bem como assistir ao Festival de Cinema de Berlim.