Promovido pela Televisão Pública de Angola (TPA) e pela Platina Line, o show arrecadou fundos e bens de primeira necessidade para apoiar a Associação de Cegos de Angola.

Teve como protagonistas os músicos Baló Januário, Socorro e o grupo Tunjila Tuwajokota, acompanhados pela Banda Movimento e pela Banda Socorro.

O show, com duração de 03h30 minutos, foi assistido por milhares de telespectadores, em Angola e na diáspora, a partir da televisão e da rede social Yutube.

Durante a actuação, foram interpretadas, entre outras, as canções "Amor", "Sentem o Respeito", "Mana Mena", dos Tunjila Tuwajokota, "Ndingama", "Ndigama", "Muana", "Regina" e "Ndinga", de Socorro, "Boca Na Botija" e "Azar da Belita", de Baló Januário.

O show enquadrou-se num projecto da TPA e da Platina Line, que visa ocupar as pessoas nesse período de confinamento social, por causa da Covid-19, promover e resgatar a identidade cultural angolana.

Aos domingos, já se tem tornado habitual as famílias angolanas reunirem-se e viverem momentos marcantes da música popular angolana, por via dessas iniciativas.

No final da actuação deste domingo, a favor dos portadores de deficiência visual, várias foram as reações da sociedade nas redes sociais, valorizando a performance dos artistas.

Segundo o actor Jorge Júnior, momentos como esses (show) devem continuar a ser promovidos pela televisão pública, mesmo depois do fim da pandemia da Covid-19.

"Esses momentos devem continuar, porque estamos resgatar a nossa cultura e porque muita gente vai precisar dessas doações no pós-Covid-19", expressou.

Para o actor, a TPA encontrou a "melhor forma de resgatar a cultura nacional", daí apelar aos profissionais dessa cadeia televisiva para não pararem por aí, em termos de serviço público.

Por sua vez, a bailarina Luísa Alexandre disse que em tempo de confinamento social o melhor que se pode fazer é esquecer os problemas e aproveitar os momentos culturais nas televisões angolanas.

Para si, muitos dos músicos convidados para essas actuações estavam a cair no esquecimento e esses concertos têm reacendido a esperança destes profissionais e relançado as suas carreiras.

"Alguns músicos já estavam a ir para o esquecimento, mas com esses projectos muitos estão a reacender a chama e a esperança de voltar para os palcos", finalizou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.