De referir que a amostra de arte integra cerca de 40 obras, entre pintura, desenho, instalação e fotografia, cria uma retrospectiva com algumas das peças mais emblemáticas dos primeiros anos de trabalho de António Ole e apresenta, também, diversas obras recentes e inéditas. A exibição de arte é inaugurada a 26 de Abril e fica patente até ao dia 14 de Junho, na Galeria Banco Económico.

Nesta exposição que assina os 50 anos da sua carreira, António Ole juntou mais de 40 obras numa exposição de arte que pretende constituir uma ligação umbilical entre as obras do passado e do presente, numa narrativa visual que evolui ao longo do percurso do artista. A mostra é constituída por duas secções. Uma sobre o passado, com uma visão retrospectiva das suas obras, e outra com peças mais actuais e inéditas.

Para a exposição "50 Anos- Passado, Presente e Futuro", o artista selecionou cerca de 18 peças retrospectivas, algumas realizadas antes de 1985, e que marcaram o início do seu percurso artístico. Desta fase de trabalhos anteriores constam também algumas obras emblemáticas da série " Paisagem Vertical" – técnica mista sobre papel – e duas peças do início do projecto "Hidden pages stolen bodies", com técnica mista sobre papel e sobre tela.

Outra obra a destacar é o tríptico Ana Mwa Zanga, acrílico e colagem sobre serigrafia e folha de ouro - do projecto “Ínsula”, um processo criativo ainda em curso, que resulta de uma reflexão filosófica, religiosa, cultural e linguística sobre nove Ilhas, ao longo do continente africano. Neste exercício extrapolam-se as influências da insularidade na construção dos imaginários culturais, e foi neste contexto que António Ole se inspirou no conceito “Ana Mwa Zanga”, que traduzido do quimbundo significa "pessoas que pisam a água do mar".

As restantes obras são mais recentes e, na sua maioria, inéditas. Nesta vertente, a exposição integra trabalhos com diversas técnicas mistas, sobretudo desenho, uma instalação de 50 aguarelas, pintura- acrílico e pigmentos sobre tela- e três projectos de fotografia, em caixa de luz, inspirados nos resquícios das memórias do artista sobre as suas passagens por Veneza, uma paisagem urbana particularmente marcante e inspiradora para António Ole. Entre as obras inéditas nesta mostra destacam-se várias novas criações realizadas entre 2018 e 2019.

A exposição" 50 Anos- Passado, Presente e Futuro" conta ainda com a exibição do documentário "Ole António Ole", sobre a vida e obra do artista, da autoria de Rui Simões.

Para além desta exposição, o Banco Económico está também a produzir uma edição limitada de um livro sobre os cinquenta anos de carreira de António Ole, para ajudar a criar mais uma memória intemporal sobre o trabalho deste artista maior de Angola.

Henda Teixeira, Administradora do Banco Económico, acrescenta: "António Ole é um artista único, multifacetado, com uma vasta e diversificada obra, que se materializa em várias áreas - desde a pintura, escultura, fotografia, instalação, vídeo e filme- e as suas criações têm vindo a ser exibidas nos mais conceituados espaços de arte, a nível mundial. Tendo em conta que o Banco Económico tem vindo a assumir um papel cada vez mais ambicioso na promoção da arte contemporânea e da cultura no País, foi com muita naturalidade que lançou este desafio ao António Ole, para realizar uma exposição que assinalasse os seus 50 anos de carreira. Surgiu, assim, esta mostra " 50 Anos- Passado, Presente e Futuro". Para nós, é um orgulho e um privilégio acolher este projecto expositivo, na Galeria Banco Económico".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.