O livro de 198 páginas faz uma análise da situação política, económica e social de África, bem como aponta os caminhos a percorrer para que os governos africanos possam entrar numa nova era de paz e estabilidade, conducente a um melhor clima de negócios, para uma maior captação de investimentos que contribuam para um desenvolvimento económico e social abrangente, com vista a proporcionar o bem-estar às populações.

Ao apresentar o livro, o jornalista Abílio Bragança Neto, disse que o mesmo vai permitir aos jovens académicos perceberem a importância de Angola na resolução de conflitos de guerra, bem como espelhar a diplomacia do Pan-africanismo através da diplomacia dos países de língua portuguesa, em particular a de Angola.

De acordo com o também advogado, a diplomacia angolana tem como base a defesa da soberania dos Estados, sendo que o país elevou a sua política diplomática a partir da primeira entrada no Conselho de Segurança da ONU.

Segundo o autor, o livro apresenta a problemática dos conflitos no continente, cujas causas ocorrem desde a divisão de África em fronteiras artificiais pela Conferência de Berlim, realizada de 15 de Novembro de 1884 a 26 de Fevereiro de 1885.

Mário Augusto é licenciado em Direito, especializado em Direito e Comunicação, e em Relações Internacionais Africanas pela Universidade Autónoma de Lisboa (UAL).

Advogado e Jornalista exerceu as funções de consultor jurídico da Imprensa Nacional, E.P. e assessor da Direcção de Informação da Agência Angola Press (ANGOP).

Autor do livro “As Nações Unidas no Contexto do Direito Internacional” em 2005

Estiveram presentes na cerimónia, a ministra Conselheira da Embaixada de Angola em Portugal, Isabel Godinho, Embaixador de Angola na CPLP, Luís José de Almeida, Cônsul geral de Lisboa, Narciso do Espírito Santo, diplomatas, estudantes e membros da comunidade angolana residente em Portugal.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.