A italiana Argento, que denunciou o ex-produtor de Hollywood Harvey Weinstein por violação, teria comprado o silêncio de Bennett sobre o abuso, cometido num hotel em 2013, quando o ator era menor.

"No princípio não falei sobre a minha história porque escolhi tratar o assunto de forma privada com a pessoa que me fez mal", escreveu Bennett na sua conta no Instagram esta quarta-feira, na sua primeira declaração desde que explodiu o escândalo.

"O meu trauma ressurgiu quando ela apareceu como vítima", disse o ator, reafirmando que sentia muita  "vergonha e medo de ser parte de uma narrativa pública".

Bennett tinha 17 anos e Argento, 37, quando ocorreu a suposta violação. A idade de consentimento para relações sexuais na Califórnia é de 18 anos.

O jornal The New York Times avançou no domingo que Argento aceitou pagar 380 000 dólares ao ator e músico de rock para evitar uma denúncia.

"Tratei de procurar justiça de uma forma que tivesse mais sentido para mim", revelou Bennett, acrescentando que na ocasião "não estava pronto para enfrentar as repercussões da divulgação da história".

"Pensei que as pessoas não iriam entender o que aconteceu a partir do ponto de vista de um adolescente".

A atriz italiana Asia Argento negou esta terça-feira, dia 21 de agosto, ter tido relações sexuais com o ator Jimmy Bennett quando este era menor de idade, anunciou em comunicado divulgado. "Desminto e repudio o conteúdo do artigo publicado no New York Times que circula em vários meios nacionais e internacionais. (...) Jamais mantive relações sexuais com Bennett", declarou a atriz, de 42 anos, que reconheceu ter dado dinheiro ao jovem, mas não por uma relação sexual.

Já esta quarta-feira (22), o TMZ revelou imagens e mensagens de texto que contradizem o comunicado da atriz. Na foto, tirada por Bennett no hotel Marina del Rey, na Califórnia, em 2013, Asia Argento aparece deitada ao lado do jovem. De acordo com o site, no estado norte-americano é crime um adulto ter relações sexuais com um jovem com menos de 18 anos.

O caso ter-se-ia dado em 2013, na Califórnia, quando Bennet, um jovem ator e músico rock então com 17 anos, terá sido incentivado por Argento a consumir alcool e a ter relações sexuais, sendo que a idade mínima de consentimento naquele estado é de 18 anos.

O ator, que já tinha interpretado o papel de filho de Argento no filme “The Heart is Deceitful Above All Things”, de 2004, realizado pela própria atriz, pediu 3,5 milhões de compensação pelo sucedido mas acabou por chegar a acordo por 380 mil dólares, a serem pagos durante um ano e meio.

Os documentos a que o jornal teve acesso incluem uma selfie com os dois atores na cama, que o ator terá entregue à atriz, juntamente com o respetivo direito de copyright, no processo de acordo. A autenticidade dos mesmos terá sido confirmada por três pessoas próximas do caso.

O advogado de Bennett alega que o ator tinha ganho mais de 3,5 milhões de dólares nos cinco anos anteriores ao sucedido e que o seu rendimento depois disso, pelo trauma com que teria ficado, se resumiu a cerca de 60 mil dólares por ano, defendendo que o encontro provocou um declínio na capacidade de trabalho, no rendimento e na saúde mental do intérprete.

No comunicado partilhado esta terça-feira, a atriz conta que foi amiga do jovem durante vários anos. "Tive uma ligação com ele durante vários anos, de amizade apenas, que terminou quando, depois da minha exposição no caso Weinstein, Jimmy Bennett - que então estava a passar por problemas económicos graves e que tinha interposto ações legais contra a sua própria família exigindo milhões de indemnização - inesperadamente me pediu uma quantia exorbitante de dinheiro", recorda Asia Argento.

"Bennett sabia que o meu namorado, Anthony Bourdain, era um homem visto como tendo uma grande fortuna e tinha a sua própria reputação como figura pública", acrescenta a atriz no comunicado.

Asia Argento explicou ainda que Anthony Bourdain insistiu que o assunto fosse resolvido de "forma privada e isto também era o que Bennett queria". "O Anthony tinha receio da possível publicidade negativa que uma pessoa como ele, que ele considerava perigosa, podia trazer-nos. Decidimos lidar de forma compreensiva com o pedido de ajuda dele e dar-lhe o dinheiro. O Anthony assumiu pessoalmente a tarefa de ajudar Benettt financeiramente, na condição de não voltarmos a sofrer intrusões na nossa vida", revela na nota partilhada nas redes sociais.

"Este é, portanto, o enésimo desenvolvimento de uma série de acontecimentos que me traz enorme tristeza e que constitui uma perseguição duradoura. Não tenho outra opção que não opor-me a essas acusações falsas e assumirei no curto-prazo todas as iniciativas necessárias para a minha proteção perante todas as entidades competentes", sublinha a atriz italiana Asia Argento no comunicado.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.