A ministra, que falava durante uma confraternização com artistas e representantes da comunidade Angolana em Portugal, disse  que o convite foi feito pela directora Geral da Unesco, Andrew Azulay aquando da visita do Presidente João Lourenço à sede da  organização, em Paris,  em Julho deste ano.

"A escolha de Angola comprova o respeito e credibilidade que o país goza a nível internacional na defesa da paz, da amizade e fraternidade entre os povos, assente numa base de diálogo, de mutualismo e de concertação",  asseverou.

Carolina Cerqueira apelou aos membros da diáspora a continuarem a dignificar Angola nos actos e iniciativas que contribuam para reafirmar a grandeza da alma e identidade  angolanas, através de modelos de resiliência, generosidade e determinação, qualidades que caracterizam os angolanos.

O novo ciclo político que o país conhece, segundo Carolina Cerqueira, requer de todos patriotismo, comprometimento com a defesa do bem comum e do interesse nacional.

O encontro com a comunidade de artistas residentes em Portugal contou com a presença do ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto.

A semana cultural em Portugal, no âmbito da visita do Presidente Angolano, incluiu amostras de várias manifestações culturais como moda, gastronomia, musica, pintura, dança, artes plásticas e literatura.

Valdemar Bastos, Té Macedo, Nadir Tati, Etona, Edy Tussa, Maria Borges, Rose  Palhares e Guilherme Guizefe são alguns dos artistas que participaram nas diversas manifestações culturais realizadas na capital portuguesa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.