O documento que foi rubricado na terça-feira, 10, em Cabinda (Angola), pelo ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, e pela sua homóloga angolana, Carolina Cerqueira, vai permitir ainda a consolidação, partilha de conhecimentos e cooperação nos diversos domínios culturais.

“Com este acordo, Angola assume o compromisso de colaborar com Cabo Verde na elaboração do dossiê de candidatura do ex-Campo de Concentração do Tarrafal a Património da Humanidade da UNESCO e estabelecer uma cooperação no âmbito da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) para a criação e desenvolvimento do mercado comum das artes, cultura e indústrias criativas”, adianta a fonte.

A declaração de Cabinda prevê ainda a realização anual da Semana da Morna em Angola e Semana do Kizomba em Cabo Verde, estabelecer um mecanismo de intercâmbio que promova a troca de experiências e sinergias, bem como a troca de conhecimentos em áreas como a gestão museológica, gestão arquivística e de bibliotecas, direitos de autor e conexos, desenvolvimento do carnaval e a certificação internacional de artesanato.

Com esse acordo, os dois países vão trabalhar em conjunto para promover a troca de experiências no domínio da regulação das indústrias criativas, colaborar na criação de um programa de Bolsas de Acesso à Cultura com base na experiência cabo-verdiana.

Cabo Verde e Angola pretendem colaborar ainda através de um novo acordo de cooperação no domínio das artes, cultura e indústrias criativas, criar um grupo de trabalho que estabeleça as linhas orientadoras da cooperação que se reúna anual e alternadamente para o devido acompanhamento dos programas executivos estabelecidos, bem como garantir a presença regular de artistas e agentes culturais de diversas áreas nos grandes eventos organizados pelos governos de ambos os países.

Para Abraão Vicente, o acordo constitui o primeiro passo para a consolidação de um novo quadro de cooperação cultural entre os dois países.

“Os dois povos têm laços e uma história comum que faz com que trabalhem e caminhem juntos, promovendo acções que contribuam na preservação, divulgação e valorização da cultura dos dois países”, constatou.

Por seu turno, a ministra da Cultura de Angola, Carolina Cerqueira, afirmou que a assinatura desta declaração está inserida no programa da diplomacia cultural angolana que está em plena sintonia com a diplomacia política.