Com 11 grupos de adultos preparados para o desfile de 05 de Março, a fase final do Carnaval/2019 parece mais revitalizada e motivante para os concorrentes, após a confirmação pela Comissão Provincial Preparatória da presença, no largo de África, do grupo Bravos da Vitória, detentor de 25 títulos.

Segundo o responsável da agremiação União Mundo do Casseque, da zona B, José Eduardo, em declarações à Angop, depois de alguns anos sem participar do desfile provincial, informações apontam para a presença, este ano, do maior “campeão” do Carnaval de Benguela, mas desta vez isso surge como um incentivo.

“Em qualquer competição, todos gostam de disputar com os grandes e connosco não é diferente, aliás, em 2018, o grupo infantil União Mundo do Casseque foi o vencedor do primeiro lugar da sua categoria”, disse.

Lembrou que, apesar de algumas dificuldades no que toca aos patrocínios, o grupo está a preparar-se para levar muita cor e alegria à fase final do carnaval, no sentido de tentar arrebatar o troféu.

Informou que a formação do União Mundo do Casseque tem como estilo de dança o Semba, mas que, desta vez, vai apresentar uma miscelânea - um casamento entre a Semba e a Kazukuta.

Quanto a provável alegoria, frisou que por estarem ligados à costa atlântica, os responsáveis decidiram adoptar algo que reflicta a localização geográfica do conjunto, mormente o oceano e a actividade produtiva dos “Ana zangas”, entre outras atracções.

Com quase 150 integrantes, segundo José Eduardo, o União Mundo do Casseque encontra até hoje na confecção de nova indumentária o seu grande “calcanhar de Aquiles”, mas apesar do tempo que corre célere em direcção ao 05 de Março, data do desfile, espera-se que os apoios cheguem mesmo à última hora, já que os patrocinadores não descartaram essa possibilidade.

Por esse motivo, apelou aos membros, incluindo a falange de apoio, a empenharem-se, aprimorando a disciplina e a organização diante do corpo de “jurados”.

Por seu lado, a comandante do grupo “A Voz do Povo Angolano”, Teresa Emília,  enfatizou que o grupo que dirige trabalha para competir, visando obter vitórias, por isso congratula-se com o regresso do “Bravos da Vitória”, que desde 2015 esteve ausente em protesto a decisão administrativa de municipalização do Carnaval na província de Benguela.

“É bem-vindo o regresso do Bravos, porque o que queremos é vencer e convencer”, disse a responsável, numa alusão a um eventual despique entre os grupos participantes com aquele que é tido como o “campeão dos campeões”.

O grupo “A Voz do Povo Angolano”, além do primeiro lugar do Carnaval do seu município, em 2018, arrebatou ainda os prémios de melhores rei, rainha e comandante, numa disputa cujo acto provincial decorreu no município de Caimbambo.

Enquanto isso, Juliana Torres, do grupo “Lucrécia Paim”, afirmou que vão pela primeira vez participar do desfile provincial, com o objectivo de congregar e dar a conhecer ao público de que todas as pessoas podem participar do carnaval, sem quaisquer inibições.

Apesar de ser apenas um grupo de animação, Juliana Torres aponta a Kazukuta como a dança que vai acompanhar uma alegoria que, possivelmente, vai retratar o desempenho das mulheres nos serviços de saúde, a bordo de uma ambulância, um enfoque de cariz social bastante actual.

O grupo Cultural e Carnavalesco Bravos da Vitória, fundado a 23 de Março de 1978 por Mário Alvitos dos Santos, no município da Catumbela, tem mais de 700 figurinos, além de outros membros de apoio, e é comandado pela primeira vez por uma mulher, Gizela Santos, o que está a provocar a curiosidade dos foliões.

Do seu palmarés constam a conquista de 25 edições do Entrudo, quatro vezes a 2ª posição, três terceiras posições, um quarto lugar, nove vezes o prémio de Melhor Alegoria, quatro vezes de Melhor Rainha, além de distinções referentes a categoria de Melhor Bateria e de Melhor Canção.

Como revelam dados estatísticos, as 15 últimas edições em que participou foram ganhas por si:

Cronologia das conquistas e cidades/sedes dos desfiles provinciais:

Ano                                 cidade sede

1996                                Catumbela

1997                                Benguela

1998                                Benguela

1999                                Lobito

2000                                Benguela

2001                                Lobito

2002                                Benguela

2003                                Baía Farta

2004                                Lobito

2006                                Benguela

2007                                Lobito

2008                                Benguela

2009                                Benguela

2010                                Baía Farta

2011                                Benguela

2012                                  Benguela

2013                                  Lobito

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.