Destes, apenas 96 bens estão identificados com placas de classificação.

Na lista de espera da instituição afecta ao Ministério da Cultura estão 1.357 bens inventariados sob avaliação para a classificação nacional.

Cecília Gourgel, que falava durante uma sessão de formação de jornalistas culturais, adiantou que dos monumentos e sítios classificados no país, tendo em conta que cumprem os requisitos do Comité do Património Mundial, isto é, possuem valores excepcionais para serem aceites como património mundial, foram incluídos na lista indicativa.

Trata-se do sítio arqueológico do Tchilundu-Hulu (artes rupestre), Cuito Canavale (sítio de libertação e Independência) e a paisagem cultural do Corredor do Cuanza (percurso ao longo das províncias de Bié, Malanje, Cuanza Sul e Norte, Bengo e Luanda).

Relativamente ao Delta de Okavango, a responsável avançou que a sua inclusão na lista indicativa resultado facto de a Namíbia já o ter feito, visto que cobre os dois países.

Durante o encontro, que teve os directores do Instituto de Línguas Nacionais, José Pedro, da Direccção Nacional dos Direitos de Autor e Conexos, Barros Licença, e a directora do Instituto Nacional do Património Cultural, Cecília Gourgel, passaram-se em revista questões atinentes aos projectos da Cultura.