De acordo com uma nota enviada ao SAPO, a artista já “flertava" com a azul e branco da zona norte desde que Angola foi homenageada pela escola em 2012, reforçando o sonho de fazer parte desta famosa festa.

“Acostumada com a cultura brasileira, Celma já morou quase um ano no Brasil para fazer especialização em jornalismo. Em 2015 desfilou na Beija-flor de Nilópolis, mas o seu coração já batia mais forte por outra agremiação azul e branca”, lê-se ainda na nota.

Surpreendida com o resultado da apuração, a actriz enfatiza que a meta para o próximo ano é desfilar na ala de passistas. “Eu amo o Brasil. Temos muita coisa em comum entre Brasil e Angola. Estou num caso de amor com a Unidos de Vila Isabel. Gostei muito da organização da escola, a disponibilidade entre os participantes em se ajudarem mutuamente, a forma que se doam para que tudo aconteça da melhor maneira possível. Sem contar que a minha roupa era belíssima”, afirmou.

De olho no carnaval de 2021, Celma pretende retornar ao Brasil no período da disputa de samba-enredo para acompanhar de perto a fase eliminatória.

“A disputa de samba é extremamente importante.  É nesta fase que escolhemos o samba que vamos desfilar. Após o lançamento do enredo, esse é o segundo momento mais importante para os integrantes. Quero me sentir inserida nesta comunidade”, concluiu a artista angolana.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.